O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, apelou este sábado aos venezuelanos para reduzirem o consumismo e evitarem o “nervosismo das compras”, numa altura em que a população se queixa de crescentes dificuldades para conseguir produtos básicos no país.

“Faço um apelo às famílias, a vocês que são chefes de família, homens, trabalhadores e mulheres, para que com muita consciência saibam que estamos a enfrentar uma guerra económica brutal, que tenta um golpe de Estado e que devemos derrotá-la com a nossa consciência, que devemos baixar o consumismo, não cair no nervosismo das compras”, disse.

Durante uma mensagem ao país transmitida pelas televisões venezuelanas a partir do palácio presidencial de Miraflores, o Presidente venezuelano anunciou que hoje decorreu uma “mega jornada” de abastecimento de produtos.

Segundo Nicolás Maduro, 7.500 toneladas de produtos foram hoje vendidas em 712 mercados a céu aberto, por todo o país.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na Venezuela são cada vez mais frequentes as queixas dos venezuelanos de dificuldades para conseguir produtos essenciais como leite, óleo, café, açúcar, margarina, papel higiénico, lâminas de barba, champô ou sabonetes, entre outros. Diariamente, os supermercados registam grandes filas de clientes à procura de produtos que muitas vezes são comprados na totalidade sem chegarem a ser colocados nas prateleiras.

Alguns cidadãos recorrem frequentemente a aplicações de ‘smartphones’ para saber onde vão chegar os produtos escassos e para avisar os amigos da sua disponibilidade em determinado sítio. Para conseguirem esses produtos, os venezuelanos têm que passar várias horas por dia nas filas de diferentes estabelecimentos comerciais.