Quando o assunto é viajar, cada pessoa tem a sua estratégia. Há aqueles que preferem fazer uma lista de todas as atrações a serem visitadas e organizar horários e itinerários, enquanto há outros que preferem deixar espaço para o improviso. Em ambos os casos, há algumas situações que podem tornar a viagem mais económica, segura e proveitosa e evitar a sensação de frustração depois.

O site Nomadicmatt, especializado em dicas e conselhos para viajantes, fez uma lista com algumas coisas que não devem ser feitas quando se viaja. O Observador fez um resumo das mais importantes a seguir.

1. Não comer perto das principais atrações turísticas

Problema
A ideia é simples: a comida perto destes locais chega a ser duas vezes mais cara que em outras partes da cidade e há menos preocupação com a qualidade. Como os restaurantes sabem que os turistas não voltarão ao lugar a curto prazo, não dão prioridade à fidelização dos visitantes. Além disto, os turistas não têm um parâmetro para comparar a qualidade da comida do restaurante, o que diminui o estímulo destes lugares em querer marcar a diferença, afirma o site.

Solução
Caminhe um pouco mais antes de escolher onde comer e utilize aplicações e páginas como Yelp ou Foursquare.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

2. Não troque dinheiro no aeroporto e evite cheques de viagem

Problema
Comissões. Muitas vezes paga-se nos aeroportos uma taxa maior do que em casas de câmbio nos centros da cidade. O mesmo vale para os cheques de viagem, um meio de pagamento emitido por uma entidade bancária internacional, levantado sobre uma conta localizada no estrangeiro.

Solução
Viaje com algum dinheiro na carteira para os gastos iniciais da viagem e, quando necessário, opte por caixas multibanco.

3. Não use apenas um motor de busca para procurar o bilhete mais barato

Problema
A lista é grande: Skyscanner, Kayak, Google Flights, Momondo, Expedia, entre outros. Quando se trata de procurar o bilhete mais económico, todos temos as nossas preferências. No entanto, conforme nos lembra o Nomadicmatt, cada página tem um algoritmo diferente de busca e limitar-se a uma página reduz as hipóteses de encontrar a melhor opção.

Solução
Dedique algum tempo a olhar diferentes páginas, inclusive os sites das próprias companhias aéreas, pois nem todas as promoções aparecem como resultado nos motores de busca.

VENICE, ITALY - JUNE 17:  Two tourists enjoy a Spritz (a powerful mixture of white wine, Campari and soda water) in front of a traditiona bacaro on June 17, 2011 in Venice, Italy. The bacari are the local down to earth version of wine bars which serve 'ciccheti, a kind of Tapas traditionally washed down with a glass of wine, and Venetians stop to snack and socialize before and after meals. (Photo by Marco Secchi/Getty Images)

Usar diversos motores de busca antes de comprar o seu bilhete é um conselho dado pela página Nomadicmatt.

 

4. Não fuja do seguro de viagem

Problema
Danos provocados a terceiros, necessidade de medicamentos de urgência, roubo ou estragos na bagagem, fraturar um pé, ter de ir a urgências por um ataque alérgico ou perder uma câmara fotográfica ou um objeto de valor. Todas estas situações podem tornar-se uma dor de cabeça durante uma viagem, especialmente se não temos um seguro de viagem para proteger-nos contra emergências médicas e não médicas. Apesar de ser um gasto extra, pode evitar gastos ainda maiores para contornar estes problemas.

Solução
Verifique a cobertura do seu seguro de saúde, especialmente se vai sair do país. Observe as despesas que inclui e pergunte por suplementos especiais de acordo com o local de destino.

5. Não subestime os hostels

Problema
Os hostels já foram sinónimo apenas de lugares baratos para dormir, onde a comodidade e oferta de serviços eram parâmetros menos importantes que o preço do alojamento. Hoje em dia, os hostels continuam a cobrar menos que outros estabelecimentos hoteleiros, mas passaram a oferecer diversas facilidades, como piscinas, visitas guiadas gratuitas pelas cidades, sessões de cinema e descontos em atrações turísticas. Alguns oferecem até quartos privativos com casa de banho.

Solução
Em sites como Hostelworld, Hostelbookers, Hostels ou Hostelscentrals, faça a busca por hostels e leia as opiniões de outros utilizadores.

6. Não subestime o Couchsurfing

Problema
Quando se visita uma cidade pela segunda ou terceira vez ou ao viajar sozinho, a experiência pode ser menos proveitosa para o viajante. Uma boa maneira de ter uma perspetiva diferente é através do Couchsurfing, um serviço de hospitalidade com base na Internet no qual habitantes locais recebem hóspedes. Conforme lembra o site Nomadicmatt, esta pode ser uma boa maneira de conhecer pessoas e ir a lugares que não estão nos guias turísticos. Ah! E nem sempre se dorme em sofás!

Solução
Registar-se na página do serviço e verificar as opiniões sobre os anfitriões antes de solicitar a acolhida.

VENICE, ITALY - JUNE 17:  Two Venetians women enjoy a drink with "cicchetti" in front of a traditional bacaro on June 17, 2011 in Venice, Italy. The bacari, open just for lunch and dinner, are the local down to earth version of wine bars which serve 'ciccheti, a kind of Tapas traditionally washed down with a glass of wine, and Venetians stop to snack and socialize before and after meals. (Photo by Marco Secchi/Getty Images)

O serviço de couchsurfing pode ser uma boa maneira de conhecer pessoas se vai à uma cidade onde já esteve antes, segundo a lista divulgada pela página Nomadicmatt.

7. Não use táxis

Problema
Os táxis podem ser uma maneira segura e fácil de chegar num lugar, mas comprometem o orçamento do viajante. De acordo com o país ou a cidade, os preços podem ser ainda mais altos segundo a hora de uso ou se o viajante leva bagagem.

Solução
Verificar o horário do transporte público e os possíveis itinerários.

8. Não leve a frase “Tempo é dinheiro” à letra

Problema
Viajantes costumam ter mais tempo que dinheiro, por isso preferem economizar mesmo que isso signifique perder algum tempo. Isto acontece sobretudo quando preferimos comprar dois ou mais bilhetes de avião e perder um dia a chegar no destino a pagar por um bilhete e não ter de fazer ligações. Outro caso é economizar no bilhete do metro ou do autocarro para ir a pé a uma atração, mas aproveitá-la por menos tempo.

Solução
Calcule o seu orçamento para a viagem antes de chegar ao local da maneira mais detalhada possível, para que tome a decisão mais apropriada de acordo com o seu tempo e dinheiro.

9. Não faça reservas com muita antecedência

Problema
A ansiedade de viajar faz-nos reservar voos e hotéis com antecedência, como forma de evitar problemas de disponibilidade. No entanto, há promoções e descontos que podem ser aplicados ao valor total da reserva, como no caso de cruzeiros e passeios em grupo, onde há um número mínimo de vagas que devem ser preenchidos para garantir a viagem.

Solução
Quanto mais perto for o destino da viagem, menos importante é fazer a reserva com antecedência. Para comboios e navios, verifique os possíveis descontos antes de fazer a compra.

10. Não fuja do Posto de Turismo

Problema
Apesar de o telemóvel reunir diversas aplicações para facilitar viagens, os Postos de Turismo reúnem importantes (e muitas vezes exclusivas) informações sobre qualquer cidade, como a agenda de eventos e descontos em restaurantes e bares, além de poderem recomendar o melhor caminho para chegar às atrações. Pode ser também uma boa oportunidade para praticar a língua local.

Solução
Antes de viajar, verifique onde fica o posto de turismo mais próximo do seu hotel. Mesmo que já conheça o destino da viagem, não deixe de passar pelo lugar para perguntar pelas atrações na cidade durante a sua estadia.