Dois elefantes, dois búfalos e cinco impalas. É este o menu da festa do 91.º aniversário de Robert Mugabe, o presidente do Zimbabwe. O evento, agendado para 21 de fevereiro, terá lugar no luxuoso hotel Elefant Hills Resort e deverá receber à volta de 20 mil pessoas, conta o El País, citando o Chronicle, um jornal local. No ano passado, por ocasião do 90.º aniversário, soltaram-se 90 balões, mataram-se 90 vacas e entregaram-se aos convidados 90 quilos de carne.

Os animais serão doados por Tendai Musasa, um camponês que assim pretende demonstrar o seu apoio e garantir “um ambiente festivo na comunidade”. Mas há mais: Musasa quer também entregar ao presidente do país uma cabeça de um leão recém-caçado. “Estamos a negociar com a Autoridade de Parques e Gestão da Vida Selvagem para poder caçar os animais uns dias antes da festa”, contou.

Quem não achou piada nenhuma a esta ideia foram os grupos que defendem os direitos dos animais. “É o contrário de ético” e deveria proibir-se, afirmou Johny Rodrigues, o presidente da Task Force de Conservação do Zimbabwe. Segundo o El País, os primeiros a contestar foram os habitantes da zona das cataratas Victoria Falls, porque Musasa não lhes comunicou a intenção de doar os animais — em caso de caça, a comunidade tem direito a uma quantia de dinheiro. Esta história está avaliada em mais de 100 mil euros, preço agravado pela intenção de caçar um leão.

Extravagante e autoritário, Mugabe está no poder há 35 anos e acabou de ser eleito para a presidência da União Africana, como contava a 30 de janeiro a Euronews. Um dos seus objetivos passa por “vigiar a exploração estrangeira dos recursos do continente e dar mais assistência aos agricultores”.

Contas feitas — dois elefantes, dois búfalos e cinco impalas –, dará qualquer coisa à volta de 12.700 quilos de carne para 20 mil pessoas, o que dará pouco mais de meio quilo para cada (0,635kg). Isto num país em que 41% da população está sujeito a pobreza multidimensional, que abrange três pilares: saúde, educação e padrões de vida.