A vitória de Beck na 57.ª edição dos prémios Grammy foi tudo menos pacífica: quando tudo fazia prever que fosse Benyonce a vencer na categoria de Melhor Álbum do Ano, foi o norte-americano que saiu a rir e que levou a estatueta para casa. Quem parece não ter gostado nada da decisão foram os fãs de Beyonce. Inconsoláveis com a derrota da diva, inundaram a página de Wikipédia do artista com acusações pouco simpáticas e que revelavam pouco espírito de fair-play. Um exemplo? No currículo de Beck passou a constar a “profissão” de “Grammy Stealer” (Ladrão de Grammys, em português).

Se é verdade que com 14 anos de existência a Wikipédia conseguiu proeza de se tornar num dos sites de consulta mais utilizados e respeitados em todo o mundo – conta já com 4,7 milhões de artigos publicados e uma base de dados digital sem precedentes -, por outro lado a sua grande virtude tornou-se no seu principal handicap: praticamente toda a gente pode editar e acrescentar informação.

E é essa característica que transformou a Wikipédia num autêntico “campo de batalha” entre pessoas que se dedicam a editar e alterar erroneamente páginas do Wikipédia, como explicou William Beutler, editor do site desde 2006 e especialista em questões “wikipedianas”. “A Wikipédia está a entrar naqueles anos estranhos de adolescência. Tal como um adolescente teimoso que se recusa a aprender com os erros, a direção da Wikipédia poderia tomar medidas para evitar isto. Infelizmente, não estou à espera que isso aconteça em breve”, escreveu Beutler no artigo publicado na Quartz.

A recente controvérsia dos Grammys não foi a única que ultrapassou as barreiras dos habituais campos onde germinam polémicas deste género (como o Facebook ou Twitter) e que tomou de assalto a Wikipédia: também o caso que ficou conhecido como Gamergate teve na Wikipédia vários dos seus campos de batalha.

Para Beutler, no entanto, este tipo de acontecimentos não são sinais de que a “comunidade está em declínio”. São antes “dores de crescimento naturais” de uma página que está apenas a meio caminho da sua maturidade. O problema é que estes ataques à integridades dos artigos disponibilizados no site, obriga a que sejam os verdadeiros editores, como Beutler, a limparem os danos causados por aqueles que fazem da Wikipédia uma arma de arremesso. E isso está a afastar quem se dedica a ingrata tarefa e a colocar em causa, a longo prazo, a integridade e continuidade do projeto, explica.

“É verdade que os editores se têm, de facto, afastado ao longo dos anos, muitas vezes apontado como causa a falta de civismo e de motivação. Dentro e fora da Wikipédia alguns temem que ela não tenha uma direção clara, manietada por um conjunto de normas internas que podem ser autodestrutivas”.

Então, qual será o futuro da Wikipédia, se se quiser manter à margem das “guerrinhas” digitais e evitar os ódios do online? William Beutler acredita que a criação de restrições à edição de artigos, por si só, não resolveria a crise de identidade da Wikipédia que, “tal como qualquer adolescente” ainda “está a passar por um processo de autodescoberta.

“Os próximos anos serão necessariamente dolorosos”, sublinhou Beutler, para depois acrescentar, numa referência ao facto de Kanye West ter subido ao palco para protestar a vitória de Beck – e, por isso, ser talvez ele o grande instigador do ódio que se gerou contra Beck -, que os próximos anos serão ainda mais dolorosos se o artista norte-americano “estiver nomeado para o ano”. E não vencer, acrescentamos nós.