Um tribunal egípcio condenou hoje a cinco anos de prisão Alaa Abdel Fattah, um dos líderes da revolta contra o ex-presidente Hosni Mubarak em 2001, por violências ocorridas numa manifestação não-autorizada.

Outros 24 arguidos foram condenados a penas de entre três e 15 anos de prisão, numa altura em que o poder egípcio é acusado de reprimir implacavelmente toda a oposição, islamita e laica.