Cerca de 140 mil euros em hotéis e 12 mil euros em comida e jantares fora de casa. Estas são algumas das despesas exigidas, por mês, na sequência de um divórcio bilionário noticiado esta terça-feira pela CNN. Os norte-americanos Kenneth Griffin (45), CEO de uma firma de investimento de Chicago, e Anne Dias Griffin (44) estavam juntos desde 2003 e da união resultaram três filhos. E é em nome deles que a futura ex-mulher faz as exigências monetárias — o património líquido de Kenneth está avaliado em mais de 5 mil milhões de dólares (mais de 4 mil milhões de euros) e, segundo o Daily Mail, ele quer a guarda conjunta.

Dias Griffin reclama perto de 900 mil euros para cobrir as suas despesas mensais, dizendo que é quanto precisa para suportar os três filhos — todos com menos de dez anos e com quatro amas a tomar conta deles. Do outro lado da barricada, o marido contesta o pedido e explica que o orçamento por ela definido inclui “despesas exorbitantes” e que as contas não refletem as necessidades das crianças. Ao invés, têm como objetivo financiar um estilo de vida muito próprio.

À lista de despesas a mulher acrescentou ainda outros valores: mais de 250 mil euros para um jet privado, mais de 50 mil euros considerando um escritório e o seu staff e ainda cerca de 12 mil euros para comida, incluindo refeições fora de casa. Estes valores, escreve a publicação norte-americana, encontram-se descritos nos documentos que deram entrada em tribunal.

Para Dias Griffin, o marido recusa-se a pagar a pensão alimentar das crianças e está, por isso, a pôr-se acima da lei. Independentemente do que um e outro reclamam em matéria de tribunal a lei do estado de Illinois, onde a família vive, define que o apoio financeiro atribuído aos mais novos é calculado com base no padrão de vida que as crianças teriam caso o casamento entre os pais não tivesse sido dissolvido.

Lista de despesas exigidas por Anne Dias Griffin

  • 140 mil euros em hotéis
  • 250 mil euros para jet privado
  • 50 mil euros para escritório e staff
  • 12 mil euros para comida (incluindo refeições fora de casa)
  • 2 mil euros em artigos da papelaria