A Galp Energia prevê que a cotação média do petróleo se situe nos 55 dólares por barril este ano. Este preço representa uma queda significativa em relação à cotação média prevista há um ano e que estava nos 95 dólares por barril. Atualmente, o Brent de Londres, está a negociar na casa dos 57 dólares, mas no mercado americano o petróleo vale menos de 50 dólares por barril.

Esta alteração significativa no mercado petrolífero implica um reajustamento do plano estratégico da companhia portuguesa que é apresentado esta terça-feira em Londres aos analistas e investidores internacionais. Menos investimento, mas também uma revisão em baixa dos resultados operacionais da atividade de exploração e produção.

Com um petróleo na casa dos 60 dólares por barril, que é cenário mais desfavorável previsto no plano para 2019, a Galp antecipa que irá conseguir começar a tirar lucro dos novos investimentos em produção em 2019. Esta meta  justifica a manutenção da prioridade nesta área, embora com um plano de investimentos mais prudente, que vai reduzir 300 milhões de euros ao valor anual anunciado em 2014, refletindo igualmente as dificuldades operacionais que vão atrasar projetos no Brasil e Moçambique. Ainda assim, o cenário base do plano aposta num regresso do crude à casa dos 80 dólares até 2018.

Os custos de técnicos de produção nos grandes projetos de exploração deverão baixar de 27 para 22 dólares por barril, mas este valor não inclui vários encargos, designadamente impostos e royalties.

Apesar da pressão que a baixa do preço coloca sobre a exploração e produção, a descida do petróleo tem permitido uma melhoria das margens de refinação.