A Ryanair, a maior companhia aérea europeia de baixo custo, aprovou, esta segunda-feira, um plano de negócios cuja grande novidade é a oferta de voos transatlânticos com preços imbatíveis, segundo o Financial Times. A companhia irlandesa prevê começar a voar para os Estados Unidos daqui a quatro ou cinco anos.

As novas rotas poderão vir a ligar 12 a 14 destinos europeus a cidades e outros destinos norte-americanas como Boston, Chicago, Florida, Miami, Nova Iorque e Washington. E os preços promocionais de ida, segundo o FT, podem rondar as 10 libras, o que equivale a 14 euros. Porém, outros bilhetes de ida rondarão as 99 libras, ou mais, ou seja, 139 ou mais euros. O diretor de marketing da Ryanair, Kenny Jacobs, citado pelo mesmo jornal, diz mesmo que a companhia poderá disponibilizar até metade dos lugares a estes preços mais altos e acrescenta que este serviço transatlântico não irá operar com a marca da Ryanair.

Mas para que este cenário se concretize será preciso que a companhia irlandesa consiga chegar a um acordo par adquirir aviões de longo curso. E o presidente executivo Michael O’Leary já está em conversações com a Airbus e a Boeing. Segundo O’Leary este é o “desenvolvimento lógico do mercado europeu”, pois os consumidores querem voos baratos a ligar os dois lados do Atlântico.