Segundo disseram à Efe fontes próximas da investigação, a operação, denominada Pastor, está a decorrer em Pamplona, Salvatierra e Santa Cruz de Campezo (Álava) e San Sebastián. Os investigadores consideram que os detidos participaram em reuniões que coordenavam atuações para dar apoio aos presos da ETA.