A trasladação dos restos mortais de Eusébio para o Panteão Nacional vai acontecer no final da tarde de 3 de julho, revelou Marques Mendes, no espaço habitual de comentário na SIC.

“É justo para Eusébio e é uma decisão muito adequada que a Assembleia da República toma”, começou por dizer. A informação ainda não era pública, mas já foi confirmada por fonte do gabinete da Presidência da Assembleia da República à Lusa. No texto do projeto de resolução que deu início ao processo, Eusébio é descrito como tendo um “mérito desportivo, grandeza que transcende as fronteiras de Portugal, bem como [tendo uma] personalidade generosa e humilde” que tornou Eusébio da Silva Ferreira “num herói popular e num símbolo do nosso país, que honra Portugal e orgulha os portugueses”.

Sobre o fim da comissão de inquérito ao BES, o ex-líder do PSD fez um “balanço muito positivo”. “Devo dizer que esta comissão de
inquérito foi exatamente o contrário de muitas outras no passado, prestigiou o Parlamento e prestigiou os deputados. Marques Mendes deixou elogios a Fernando Negrão, que presidiu a comissão, e à deputada do Bloco de Esquerda, Mariana Mortágua, mas lamentou a falta de algumas audições. Nomeadamente a presença do Crédit Agricole, “grande banco francês que era o grande parceiro da família Espírito Santo”.

“Era importante para saber se, neste quadro, o Crédit Agricole está contra o Banco de Portugal ou se está contra Ricardo Salgado. Por aquilo que eu sei, o Crédit Agricole está a pensar intentar em tribunal uma ação, um processo judicial contra Ricardo Salgado e a família Espírito Santo, para pedir responsabilidades. Pessoas do Crédit Agricole estiveram em Portugal a recolher elementos”, disse.

Quanto às conclusões, Marques Mendes disse não ter grandes expectativas. “A partir daqui vai ser politiquice, campanha eleitoral”, disse, manifestando dois desejos. Primeiro, o de saber para onde foi parar o dinheiro. O segundo, que nas conclusões se encontrem propostas futuras “para que situações destas não se repitam”. O Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, que também foi ouvido esta semana, mereceu nota positiva.

“Acho que ele esteve relativamente bem, não teve grande novidade neste seu depoimento. A grande questão que se coloca é: Agiu bem ou não agiu? As opiniões dividem-se. Eu devo dizer que neste momento está na moda um novo desporto nacional, o tiro ao Governador. Os lesados, o PS, e a maioria. Julga-se que dá votos. Acho um exercício de hipocrisia, nomeadamente no caso dos partidos políticos. Acho que a história lhe fará justiça um dia”.

Marques Mendes para Presidente da República? “Estou fora desse jogo”

O ex-líder do PS disse ter ficado surpreendido com a candidatura às eleições presidenciais anunciada por Henrique Neto esta semana. “Goste-se ou não se goste, tem qualidades que eu considero muito importantes: é frontal, muito corajoso e independente. na linha de Fernando Nobre”, disse, acrescentando, no entanto, que o candidato que considera anti-sistema “não vai ser nenhuma surpresa em termos de votos”.

Comentando a sugestão de Miguel Sousa Tavares sobre uma possível candidatura, Marques Mendes agradeceu, mas recusou. “Não, não, não. Eu estou fora desse jogo. Nem vou pensar, isso não existe”.

Boa notícia, para Marques Mendes, são os números do défice anunciados pelo Governo esta semana, de 4,5%, ou 3,7% sem a recapitalização das empresas públicas.

“O que estava no orçamento era 4%, o resultado final foi 3,7%. conclusão: o Governo está de parabéns, há um ano quase ninguém acreditava. Mas o mais importante é a previsão do Banco de Portugal de que a economia vai crescer 1,7% este ano. Estava previsto menos. Portugal não cresce nestes valores desde 2010. A média de crescimento em 10 anos foi de 0,7% e acho que é um grande resultado”.

Este acidente vai mudar muita coisa

Sobre as medidas de segurança tomadas após a queda do Airbus 320, onde morreram 150 pessoas, o comentador lembrou que o acidente se deveu em parte a uma medida tomada após os atentados terroristas do 11 de setembro, a de bloquear o acesso ao cockpit. “Medidas com boa intenção podem gerar outros problemas”, sublinhou, lembrando que “não há soluções infalíveis”. “Este jovem é uma pessoa doente, com depressão. Estamos a falar do grupo Lufthansa, um dos mais seguros do mundo, e todavia não foi possível descortinar que este jovem era doente”, disse.

Mas elogiou a nova medida de segurança adotada esta sexta-feira pelo Governo, de obrigar a que haja sempre dois tripulantes na cabine. “Não tenham duvida de que este acidente vai fazer mudar muita coisa, designadamente as companhias serem muito mais exigentes nos treinos e também na análise das pessoas de voo”, disse.

Luís Marques Mendes elogiou ainda o “fim do monopólio” da TAP e da SATA nos Açores, já que a partir deste domingo entra no mercado a primeira companhia low cost. “Como é que coisas que parecem óbvias demoraram tanto tempo a concretizar? É uma boa noticia para os Açores”, disse.