A assembleia de apuramento dos resultados das eleições legislativas da Madeira de domingo já verificou cerca de um terço dos votos nulos (4.353) e protestados, tendo validado três, dois para o PCTP/MRPP e um para o PSD.

Durante o processo de verificação foram registados 30 protestos por parte dos representantes dos partidos mas a assembleia de apuramento manteve a decisão de os considerar nulos.

O processo decorre no Palácio de São Lourenço, nas instalações do Representante da República para a Madeira, e os trabalhos estão a ser dificultados pela exiguidade da sala, revelou fonte da assembleia de apuramento que é constituída por doze elementos, sendo presidida por um juiz da Comarca da Madeira indicado pelo Conselho Superior de Magistratura e inclui também dois professores de Matemática que lecionam na Madeira e nove presidentes de secções de voto indicados pelo representante da República, além de um chefe de secretaria judicial.

Na sala encontram-se ainda vários representantes de alguns partidos concorrentes nas eleições de domingo.

A expectativa da assembleia é acabar os trabalhos no final do dia de hoje mas não põem de parte que os mesmos prossigam quarta-feira.

O coordenador da CDU-Madeira, Edgar Silva, mostrou-se segunda-feira esperançado na conquista do terceiro deputado após a verificação da assembleia que poderá validar cinco votos na coligação, que foram considerados nulos, e retirar a maioria absoluta ao PSD-M.

Se forem validados cinco dos votos anulados à CDU-M nas eleições regionais de domingo, ficando os sociais-democratas com o mesmo número de sufrágios, a coligação liderada pelos comunistas alcançará o seu terceiro deputado, retirando-o ao PSD-M, que conquistou a maioria absoluta com 24 mandatos no parlamento madeirense.

De acordo com os resultados totais provisórios divulgados no domingo pela secretaria-geral do Ministério da Administração Interna (MAI), o PSD venceu com maioria absoluta (44,3%) as eleições regionais antecipadas na Madeira. Em segundo lugar, ficou o CDS-PP (13,7%) que tem sete representantes e a Mudança (PS/PTP/MPT/PAN) que alcançou 11,41 por cento dos votos e ficou com apenas seis deputados.

Quanto ao Juntos Pelo Povo (JPP), o partido que se estreou em legislativas regionais alcançou 10,34% dos votos, conseguiu cinco deputados, tornando-se na quarta força política na região. A CDU ficou com 5,54% dos votos, somando mais um deputado ao que tinha eleito há quatro anos, e o Bloco de Esquerda (BE) também regressa ao parlamento depois de assegurar dois lugares fruto dos 3,80 por cento dos votos. O PND com 2,05% dos votos conseguiu manter o deputado único que tinha na região.