Moda

Quando comprar roupa no supermercado se tornou cool

300

Perdoem-nos o estrangeirismo, mas o carrinho de compras nunca esteve tão na moda. Os hipermercados atiraram-se às tendências e já pode comprar leite, iogurtes, pão... e roupa.

AFP/Getty Images

Autor
  • Helena Magalhães

Ainda acredita que os hipermercados são apenas para comprar bens alimentares? Se sim, não faz ideia do que anda a perder. Basta entrar no Continente, no Jumbo ou no Lidl para ver corredores tomados por tendências que concorrem com qualquer grande marca nos centros comerciais. A ideia é simples: roupas baratas, com boa relação qualidade-preço e que estão sintonizadas com as tendências de moda. E se já está a torcer o nariz, lembre-se que este é um conceito exatamente igual ao de marcas como a Primark — a diferença está no facto de a Primark ser uma loja e não ficar a poucos metros do corredor de frescos dos hipermercados.

Quando pensa no Jumbo, provavelmente lembra-se dos velhinhos e clássicos básicos. Os algodões, as malhas, as gangas, as sarjas, as t-shirts… Roupa para todos os targets e muito longe dos fenómenos de moda. Mas isso são águas passadas. Não obstante estas peças massificadas, os supermercados começaram a apostar em coleções modernas, que estão atentas às tendências internacionais e que procuram responder cada vez mais às necessidades do público feminino.

Enquanto o Continente tem a Mo, marca que tem vindo a abrir lojas próprias e está a separar-se do conceito de hipermercado, tanto o Jumbo como o Lidl têm feito coleções cápsula, ou seja, peças com maior exclusividade, que existem em pouca quantidade e que conseguem competir com as novidades constantes de marcas grandes como a Zara, a Mango ou a H&M. Exemplo disso são as coleções do Lidl, que mudam todas as semanas e têm sido mostradas em campanhas que de certeza já apanhou na televisão e que de repente se tornaram, não havendo outra palavra, cool.

Por sua vez, o Jumbo, pegando no fenómeno que são os blogues, criou o conceito Jumbo Moda e associou várias caras conhecidas a ele. Vai daí, criou tops e jumpers que foram totalmente idealizados por bloggers e que esgotaram. Outro exemplo é a campanha de sapatos Made in Portugal — 100% pele e que cada vez mais apresenta propostas em sintonia com o que vemos desfilar nas semanas da moda. O resultado? As coleções têm vindo a esgotar em todas as estações.

BLOGGERS CLUB sem logo4

MADE IN PORTUGAL ESTILO BOEMIO BY JUMBO MODA

Colecção Made in Portugal Jumbo, preços entre os 29,99€ e os 49,99€.

O que está realmente na moda é fazer um hi-lo (do inglês high-low), qualquer coisa como misturar o básico com o sofisticado ou o caro com o barato. Ou seja, misturar roupas de supermercado com peças mais luxuosas.

E se ainda tem dúvidas de que aqui pode encontrar peças realmente giras, deixamos-lhe as nossas sugestões.

Look moda 2

Calças Jumbo, 22,99€; Tops Lidl, 2,99€ (à venda entre 23/04 e 29/04); Mochila Jumbo 19,99€; Sandálias Jumbo 9,99€.

Look moda 4

Vestido Lidl, 5,99€ (à venda de 30/04 a 06/05); Camisa Jumbo, 19,99€; Mala Jumbo, 19,99€; Ténis Lidl, 5,99€ (à venda de 23/04 a 29/04).

Look moda 3

Blusão, 29,99€; Camisa, 19,99€; Jeans, 14,99€; Mala, 19,99€; Ténis, 12,99€. Tudo Jumbo.

Look moda 1

Sabrinas Lidl, 5,99€ (à venda de 30/04 a 06/05); Mochila Jumbo, 19,99€; Top Jumbo, 9,99€; Saia-calção Jumbo, 14,99€.

moda look 5

Bodies, 12,99€; Bustier (xadrez), 7,99€ + cuecas (xadrez), 3,99€; Boxers e strings coloridos, 2,99€ + soutiens coloridos, 4,99€. Tudo Jumbo.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Relações

Pessoas ON e OFF

Marta L. Almeida

A vida real pulsa fora das telas. Seria tão mais simplório se hoje, por não querer gostar mais de ti, pressionasse o botão, e tu desaparecias, que isso determinasse o que eu sinto ou deixo de sentir.

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)