Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Foi há 81 anos que “Nessie”, nome dado ao monstro que segundo a lenda vive no Lago Ness na Escócia, Reino Unido, supostamente apareceu pela primeira vez numa fotografia. Montagem ou não, a imagem tirada por Robert Kenneth Wilson foi publicada no jornal inglês Daily Mail em 1934. E a partir daí a lenda adensou-se até hoje. Foram muitos aqueles que procuraram a criatura desde essa altura, mas todos falharam em provar a sua existência. Agora, a Google, empresa de tecnologia norte-americana, decidir juntar-se à busca. E diz já ter tido resultados: foi capturada uma imagem que se parece com o que se acredita ser o vulto do monstro.

Usando a tecnologia Street View, que captura imagens panorâmicas de cidades e locais de interesses natural, a empresa de tecnologia decidiu ir mais longe. Possibilita a todos, a partir desta terça-feira, a exploração do Lago Ness localizado nas Terras Altas da Escócia, escreveThe Telegraph. Agora já é possível partir em busca de “Nessie” no conforto de casa, bem como explorar a superfície e as profundezas do Lago onde ele viverá.

Desde que a tecnologia foi instalada no lago, já houve uma imagem que chamou particularmente a atenção da Telegraph Travel e da Google. Segundo a publicação, o vulto negro no lago pode ser um “avistamento” do monstro, o primeiro deste ano.

“Também ficamos surpreendidos com esta imagem”, afirmou um porta-voz da Google, segundo o Telegraph Travel. “Será um tronco, um pássaro ou… o monstro?!”, comentou. Decida por si mesmo:

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

A lenda do monstro do Lago Ness

O monstro do Lago Ness é uma criatura aquática que, segundo a lenda, tem o corpo em formato de serpente e é identificado como um criptídeo, isto é, uma criatura cuja existência não foi nem provada nem absolutamente desmentida. O Pé-Grande, o Abominável Homem das Neves (ou Ieti), o Chupacabra ou a lula-gigante Kraken são outras criaturas da criptozoologia, a pseudociência que estuda este tipo de seres.

Diz-se que o mito do monstro do Lago Ness, que é o maior da Escócia em termos de volume de água e de profundidade, apareceu devido à cor escura da água que suscitava medo e curiosidade a quem passava. A aura de mistério do local terá inspirado o mito da existência de uma criatura que viveria nas suas profundezas, conta o site oficial do turismo da Irlanda.

O primeiro avistamento de “Nessie” documentado remonta ao ano 565. São Columbano, um conhecido missionário irlandês, foi o primeiro a reportar o encontro com o monstro ao, alegadamente, ter socorrido um nadador, impedindo que se tornasse no jantar do animal com a força poderosa da voz.

Durante os anos seguintes até aos dias de hoje, a criatura lendária protagonizou histórias e foi procurado por muitos. Entre esses, houve quem acreditasse na sua existência e quem proclamasse a sua autenticidade meramente para alimentar o mito.