Já não falta muito para que o mundo ponha os olhos em cima do segundo filho ou filha dos duques de Cambridge. Apesar de não haver uma data oficial para o nascimento do bebé — apenas se sabe que será no final do mês de abril, o que é, basicamente, agora –, a imprensa internacional aponta que tal aconteça no dia 25. Mas também há quem, no entanto, escreva que o parto possa acontecer nas próximas 24 horas.

“Nunca confirmámos a data do parto. A própria duquesa disse que seria entre meados e finais de abril e tem havido muitas datas apresentadas pelos média, mas nunca confirmámos nada e nunca o vamos fazer”, disse uma fonte do Palácio de Kensington, citada pelo jornal Inquisitr.

O certo é que está tudo apostos para receber o novo bebé, mesmo havendo dúvidas por esclarecer: será menino ou menina? Kate Middleton e o príncipe William optaram pela surpresa e recusaram-se a conhecer o sexo do bebé, que será o segundo filho do casal — o pequeno George completa dois anos de vida no próximo mês de julho. Caso a criança seja menina, poderá chamar-se Alice; se for menino, a aposta recai para Henry (embora haja outros nomes em cima da mesa).

3 fotos

Ao que tudo indica, Kate vai dar à luz no hospital St. Mary, em Londres, sendo que, na passada terça-feira, a polícia foi vista no local de modo a preparar a entrada da duquesa. Mas nem neste campo há certezas, com o Daily Mail a noticiar que este pode ser o primeiro bebé real a nascer fora da capital inglesa nos últimos 85 anos.

Ainda que o St. Mary seja a primeira escolha, outros dois hospitais estão em alerta no caso de Kate deixar a cidade de Londres — o Royal Berkshire, em Reading, e o Queen Elizabeth Hospital, em Norfolk.

Entretanto, a futura mãe tem passado algum tempo em Bucklebury, a sua terra natal, na companhia dos pais (Michael e Carole Middleton). E é por lá que se fazem apostas, tal como conta a US Weekly, com a opinião dos locais a pender para que o quarto herdeiro ao trono, na linha de sucessão, seja uma menina. No último sábado, 18 de abril, Kate foi vista na vila exibindo o seu avançado estado de gravidez.

No entanto, várias fontes asseguram que a duquesa estará de volta ao palácio real, onde esperará pacientemente pela chegada do segundo filho. O futuro pai também está à espera e fez uma pausa no trabalho — é piloto de ambulâncias aéreas para a Bond Air Services –, para gozar a licença de paternidade, tal como escreve a Vanity Fair.

O segundo filho do casal pode, imagine-se, representar um crescimento para a economia britânica. Alguns peritos já fizeram cálculos e o valor é bastante significativo.

George, que nasceu em 2013, significou um boom na economia no valor de 247 milhões de libras (quase 345 milhões de euros). Agora, caso o bebé de ‘sangue azul’ seja uma menina, os números devem ficar nas 150 milhões de libras (mais de 200 milhões de euros) — embora a criança possa contribuir, a longo prazo, com mais dinheiro do que o seu irmão.

“Acho que vai haver um boost imediato de 80 milhões de libras (110 milhões de euros) quando o bebé nascer”, disse o professor Joshua Bamfield, diretor do Center for Retail Research, ao The Telegraph. “Com cerca de 20 a 25 milhões de libras (cerca de 30 milhões de euros) gastas em souvenirs e o resto em comida e em bebida, tal como bolos e vinho espumante. Não há tanto entusiasmo quando é o segundo bebé, mas uma rapariga tem o potencial para fazer crescer a indústria da moda”, acrescentou.

Quantias monetárias à parte, e enquanto a imprensa internacional não avança com as boas novas, prometemos ficar agarrados ao feed de Twitter da casa real britânica.