Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Se o máximo de trabalho que quer ter com um gelado é escolher os sabores ou decidir o que responder à clássica pergunta “cone ou copo?”, então este livro não é para si. Mas se for um verdadeiro amante do doce e quiser impressionar convidados na hora da sobremesa, não pode deixar de ter A Vida Secreta dos Gelados Caseiros na prateleira da cozinha. O livro de Rita Nascimento acaba de ser lançado pela Arte Plural, uma chancela da editora Bertrand, e nós resolvemos abrir espaço no congelador para testar algumas receitas.

capa a vida secreta dos gelados caseiros

Frutos do bosque, iogurte grego, mousse de chocolate, avelã caramelizada, noz com figo, crème brulée, nutella… Escolher entre as mais de 40 não foi fácil — ou foi tão difícil como estar de pé na geladaria e sentir que nos estão a perguntar se gostamos mais do pai ou da mãe quando dizem “então que sabor vai ser?” — mas a divisão em níveis de gula que é feita no livro ajudou. No “teste Observador” escolhemos um gelado de cada, a começar do mais saudável para o mais calórico:

  1. Gelado de morango, incluído nos “sabores mais simples ou refrescantes para os gulosos que não querem exagerar”;
  2. Gelado de chocolate branco, um dos “sabores mais divertidos para aqueles gulosos que sabem que dias não são dias”;
  3. Gelado de manteiga de amendoim com chocolate, uma bomba que compensa bem mais uma aula no ginásio, cuja receita faz parte do nível de gula mais alto: “sabores intensos e ricos só para gulosos premium“.
gelados caseiros

O gelado de manteiga de amendoim com chocolate nem teve tempo de derreter. © Jorge Vieira

Primeira lição aprendida: fazer gelados caseiros não é assim tão complicado. Rita Nascimento, que estudou pastelaria e desenvolveu sabores numa empresa de gelados artesanais, para além de ter criado o La Dolce Rita, o primeiro canal português de pastelaria no YouTube, estrutura todo o livro a partir de uma receita-base (com ovos ou sem ovos), afirmando que “todos os gelados começam da mesma maneira”, seja numa pasteurizadora, no caso das fábricas, seja numa panela ao fogão ou num robot de cozinha com temperatura, se forem feitos em casa.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os nossos começaram numa panela ao fogão, numa mistura (a tal receita-base, com ingredientes simples como natas, leite e açúcar) que leva poucos minutos a cozinhar e serve de “argamassa” para todos os sabores. No caso do gelado de morango, foi só deixar arrefecer e juntar morangos triturados com açúcar. Com o chocolate branco, mais fácil ainda: bastou colocar a receita-base acabada de fazer sobre uma tablete partida e misturar tudo, para derreter. Sendo o mais calórico, o gelado de manteiga de amendoim com chocolate foi também o mais complicado, no sentido em que é preciso fazê-lo em duas partes para ficar com as lascas de chocolate rijas. Mas o trabalho compensa pois foi também o primeiro a desaparecer.

Gelados caseiros

Gelado de chocolate branco para partilhar… ou não. © Jorge Vieira

Fazendo jus ao objetivo declarado desde o início — “explicar os segredos, as manhas e os truques dos gelados de uma maneira simples”, com a ajuda de boas fotografias que acompanham cada uma das receitas — Rita Nascimento vai dando várias dicas para quem não é profissional ou não tem acessórios como um termómetro de cozinha ou uma sorveteira (um pequeno eletrodoméstico que mexe o gelado enquanto este solidifica no congelador). Este último é tido como essencial para combater “os vilões dos gelados” no processo de congelação — os cristais de gelo –, mas a verdade é que, com os conselhos da pasteleira, os nossos três sabores ficaram bastante cremosos congelados num tupperware normal.

Resultado do teste ao livro, para além de três sobremesas elogiadas? Fazer gelados em casa não é complicado, o que é difícil é fotografá-los num dia de calor.

O making of. © Jorge Vieira

O making of. © Jorge Vieira

Nome: A Vida Secreta dos Gelados Caseiros
Autora: Rita Nascimento
Editora: Arte Plural
Preço
: 16,60€