Se o Governo decidir não vender a TAP, Fernando Pinto garante que existe um plano b para a companhia aérea portuguesa. Em entrevista ao Económico, o presidente da TAP não quis, no entanto, adiantar nada sobre o que está previsto.

Neste momento, existem dois candidatos à aquisição de 66% da companhia aérea portuguesa. Um deles é Gérman Efromovich, o dono da Avianca, que em 2012 já tentara comprar a TAP. O outro candidato é o brasileiro David Neeleman, dono da companhia aérea Azul. De acordo com Fernando Pinto, ambas “cumprem o plano estratégico e garantem o futuro da TAP. Nisso estou muito tranquilo, as duas são sólidas e dão garantias de futuro”, disse.

O vencedor do concurso para a privatização da TAP pode ser conhecido já esta quinta-feira. A avaliação das duas propostas consta na agenda de trabalhos do Conselho de Ministros, que se reúne a partir das 9h30.

Questionado sobre o que pode acontecer se a venda não se concretizar, o presidente da TAP afirmou que existe uma ideia do que fazer, mas prefere só divulgar “quando for algo já definido”.