Administração Interna

Nove elementos da PSP com processos disciplinares pelos incidentes na Cova da Moura

O Ministério da Administração Interna instaurou processos disciplinares contra nove elementos da PSP, na sequência de incidentes ocorridos no Bairro da Cova da Moura, em fevereiro.

A ministra determinou a instauração de processo disciplinar contra nove elementos e o arquivamento em relação a cinco elementos

JOAO RELVAS/LUSA

O Ministério da Administração Interna instaurou processos disciplinares contra nove elementos da Polícia de Segurança Pública (PSP), na sequência de incidentes ocorridos no Bairro da Cova da Moura, na Amadora, a 5 de fevereiro.

Em comunicado, o Ministério da Administração Interna (MAI) dá conta de que a ministra “determinou a instauração de processo disciplinar contra nove elementos da PSP e o arquivamento dos autos em relação a outros cinco elementos da PSP”.

“A senhora Ministra da Administração Interna determinou, ainda, o prosseguimento dos autos como Inquérito para a identificação de outros elementos policiais envolvidos nos factos em causa e a aplicação da medida cautelar de suspensão preventiva, pelo prazo de 90 dias, a três dos elementos da PSP a quem foi instaurado processo disciplinar”, lê-se no comunicado.

Estas medidas surgem na sequência da instauração de um processo de inquérito, pela ministra Anabela Rodrigues, para apurar o que terá ocorrido a 5 de fevereiro de 2015, junto ao Bairro da Cova da Moura, na Amadora, e que envolveu vários elementos da PSP, e, posteriormente, na Esquadra de Intervenção e Fiscalização Policial, em Alfragide.

A decisão da ministra tem por base o relatório final apresentado pela Inspeção-geral da Administração Interna sobre os incidentes ocorridos em fevereiro, e que levaram à detenção de seis jovens, ao todo – um no bairro e outros cinco que “tentaram invadir a esquadra de Alfragide”, segundo as autoridades. Os polícias foram acusados de uso excessivo da força.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Taxas Moderadoras

Capitulação do bom senso

Diogo Prates

O outro lado da demagogia desta maioria é que enquanto acabam com taxas moderadoras nos cuidados de saúde primários, os antipsicóticos mais recentes deixaram de ter comparticipação a 100%. 

Finanças Públicas

Como evitar um 4º resgate? /premium

Paulo Trigo Pereira

Portugal necessita de mais doze anos (três legislaturas completas) de crescimento económico e de finanças públicas quase equilibradas para sair da zona de risco financeiro em que ainda se encontra.

Brexit

Boris Johnson /premium

João Marques de Almeida

Em Londres, só um louco ou um suicida é que defenderiam o acordo assinado com a União Europeia. Resta saber se os líderes europeus terão a lucidez de reconhecer o evidente: o acordo que existe morreu.

Ambiente

A onda verde na UE e os nacionalismos

Inês Pina

Se hoje reduzíssemos as emissões de CO2 a zero já não impedíamos a subida de dois graus centígrados. E estes “míseros” dois graus vão conduzir ao fim das calotas polares e à subida do nível do mar.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)