O índice geral da bolsa de Xangai, o Shanghai Composite Index, encerrou a sessão de hoje a ganhar 5,76%, após novas medidas anunciadas pelo governo para impulsionar o mercado, escreve a agência AFP.

O Shanghai Composite Index aumentou 202,14 pontos para 3.709,33 pontos, recuperando de uma queda de 3,81% registada hoje. Durante a sessão de hoje, o mesmo índice chegou a valorizar 6,88%, o que se traduziu numa oscilação superior a 10%.

Já a segunda praça financeira chinesa, em Shenzhen, encerrou a sessão de hoje com ganhos. O Shenzhen Composite Index fechou as transações a valorizar 3,76%, ou 70.90 pontos, para 1,955.35 pontos. “A confiança dos investidores está a recuperar“, disse Zhang Gang, analista da Central China Securities, à AFP.

A comissão reguladora do mercado de valores mobiliários da China (CSRC) impediu os grandes investidores e executivos das empresas listadas de venderem as suas ações durante os próximos seis meses, a mais recente medida governamental para estabilizar os mercados.

A medida, anunciada em comunicado, pretende “manter a estabilidade do mercado e diligentemente proteger os ‘direitos’ dos investidores”, disse a CSRC na quarta-feira à noite.

Em menos de um mês, desde meados de junho, as cotações nas bolsas de Xangai e Shenzhen caíram cerca de 30%, arrastando uma desvalorização de mais de três biliões de dólares.

Foi a maior queda desde a crise financeira global de 2008 e ocorre após um ano em que o valor das cerca de 2.700 empresas chinesas cotadas na bolsa mais do que duplicou, atraindo milhões de novos investidores.

Entre outras medidas, a comissão reguladora do mercado de valores mobiliários da China (CSRC) proibiu os grandes investidores e executivos das empresas cotadas em Bolsa de venderem as suas ações durante os próximos seis meses.

Vista outrora como um símbolo do capitalismo, a Bolsa de Valores reabriu na China continental em 1990, em Xangai, e a seguir em Shenzhen, uma zona económica especial adjacente a Hong Kong.