Nuno Vitoriano, líder da bancada social-democrata na Assembleia de Freguesia de Arroios, enviou este sábado um pedido de esclarecimentos à presidente da Junta de Freguesia de Arroios, Margarida Martins, sobre a eventual utilização de meios da junta na campanha eleitoral do PS.

Em causa, está a recente polémica a envolver os cartazes do PS. Como o Observador contou em primeira mão, Maria João Pinto, um dos rostos que figura nos outdoors socialistas como sendo uma pessoa desempregada desde 2012, prestava, na verdade, serviços na área da comunicação na Junta de Freguesia de Arroios e terá sido lá que o fotógrafo a apanhou. A jovem de 29 anos garante, ainda, que nunca terá dado autorização para que a sua cara aparecesse nos cartazes.

Num documento a que o Observador teve acesso, o que o PSD/Arroios quer saber agora é se “foi ou não tirada a fotografia à colaboradora Maria João Pinto nas instalações da Junta de Freguesia de Arroios” e se “o fotógrafo em questão pertence à organização de campanha do Partido Socialista ou é colaborador da junta de freguesia”.

Mais: os sociais-democratas querem saber se existe “mais algum colaborador desta junta que que tenha a sua imagem estampada na propaganda eleitoral do Partido Socialista”. E, caso se confirme, Nuno Vitoriano quer que Margarida Martins explique “quem” participou na campanha, “que vínculo tem e que funções desempenha na autarquia”.

Isto porque, continuam os sociais-democratas, a ser verdade que a presidente de Junta de Freguesia de Arroios convidou, de facto, a jovem Maria João Pinto a “tirar uma fotografia para a campanha do PS, nas instalações da junta”, tal representa um nível “inaceitável” de “promiscuidade” entre aquilo que deveria ser “a função autárquica de uma Junta de Freguesia e a campanha eleitoral do Partido Socialista”.

“A ser verdade não podemos deixar de nos manifestar abertamente contra este episódio que em nada abona a favor de quem foi eleito para servir os interesses da população da freguesia de Arroios”, acrescentam ainda os sociais-democratas.

Ainda antes deste pedido de esclarecimento, Margarida Martins já tinha feito questão de deixar claro que a responsabilidade da utilização das fotografias dos colaboradores da junta na campanha socialista foi da organização do partido.

Em declarações à Agência Lusa, a presidente da junta de freguesia assegurou ainda que apenas fez a ligação entre as duas partes e que se tinha limitado a partilhar “os respetivos contactos dos colaboradores com a organização da campanha do Partido Socialista”.

Margarida Martins reconheceu que falou “com alguns colaboradores da junta de freguesia no sentido de saber se queriam ou não integrar a campanha”, mas garantiu que a sua intervenção no processo “terminou nesse preciso momento”.