Os japoneses da cidade de Quioto não estão satisfeitos com o comportamento dos seus turistas. Com o recente fluxo de turismo na cidade histórica, as autoridades sentiram que estava na hora de lançarem – à boa maneira japonesa – um guia de etiqueta destinado aos visitantes. As mensagens de boas maneiras são ilustradas por imagens “adoráveis” que pretendem reeducar os turistas a não deixarem as casas de banho sujas e a terem comportamentos desviantes em relação à cultura local.

Foram dois os guias lançados pelo Turismo de Quioto e pela MICE (sigla em inglês para o escritório oficial de Reuniões, Incentivos, Convenções e Exibições), nota a CNN. O primeiro guia vem em quatro línguas diferentes e é destinado a ensinar os turistas a utilizar as casas de banho, sem as sujar. Para isso, utiliza desenhos de sanitas ao estilo ocidental e japonês, tendo em geral, um design mais ortodoxo. Pode ser consultado aqui.

O segundo abre com a frase: “Os cidadãos de Quioto são bastante meticulosos!”. E por cima desta abertura, cinco bonecos zangados olham para o leitor, mas sem nunca perder o aspeto afável. É o “AKiMaHen (Don’ts) of Kyoto“, ou seja, tudo aquilo que os visitantes não devem fazer na cidade, pretendendo combater as diferenças culturais. Neste guia (que pode ser visto na íntegra aqui), todos os atos reprováveis recebem uma nota num ranking que vai de um a três: a nota mais baixa corresponde a uma carinha triste, a do meio já está ligeiramente irritada e a máxima é ilustrada por um emoji vermelho muito zangado.

Alguns dos atos menos próprios são a abertura e o fecho, por parte dos turistas, das portas dos táxis, uma atitude considerada reprovada no Japão. O guia também aconselha a que os turistas agradeçam em japonês pelos vários serviços (com a palavra “okini”, utilizada em Quioto), em vez de deixarem gorjeta – algo que não é tradição no Japão.