São duas imagens chocantes que, agora, correm a imprensa internacional e as redes sociais com a hashtag #KiyiyaVuranInsanlik, que significa “naufrágio da humanidade”. A primeira mostra o corpo de um menino de rosto voltado para o chão, à beira-mar, numa praia turca. Uma outra revela um oficial a carregar o mesmo corpo. Ambas foram tiradas na quarta-feira de manhã e estão a chocar a Europa, bem como a estimular ainda mais o debate sobre a posição do velho continente face aos milhares de emigrantes ilegais que, nos últimos meses, têm tentado chegar a solo europeu.

A criança, que se julga ser síria, ter-se-à afogado depois de uma tentativa infrutífera de escapar do seu país de origem, devastado por um conflito armado, escreve o britânico Independent, que coloca ainda a seguinte pergunta: “Se estas imagens extraordinariamente poderosas não mudarem a atitude da Europa face aos refugiados, o que mudará?”.

O menino que aparece nas duas fotografias, a usar uma t-shirt encarnada e uns calções escuros, é um de 12 refugiados sírios que se suspeita terem morrido quando tentavam atravessar o mar Mediterrâneo em duas embarcações que tinham como destino a ilha grega de Kos, esreve o Guardian. Um total de 23 refugiados saiu de Akyarlar, na Turquia, numa tentativa desesperada de entrar em território europeu. Entre as vítimas mortais estão cinco crianças e uma mulher. Outras sete pessoas foram salvas e duas conseguiram nadar até terra com os respetivos coletes salva-vidas (há ainda duas pessoas desaparecidas).