Rádio Observador

Marinha Portuguesa

Polícia Marítima controla fronteiras gregas

A Polícia Marítima vai estar no mar Egeu, a partir de outubro, para apoiar nas operações de controlo das fronteiras da Grécia. Além de Portugal e da Grécia, há mais 18 países a participar na missão.

D.R.

A Polícia Marítima portuguesa (PM) está de partida para a Grécia para integrar as operações de controlo e vigilância nas fronteiras marítimas gregas, a pedido da Agência Europeia da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-Membros da UE (Frontex). A notícia da missão surge pouco dias depois do primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, sugerir que outros membros da União Europeia (UE) apoiem o país helénico na defesa das suas fronteiras externas.

A Operação Poseidon Sea 2015 começa já no próximo dia 1, no mar Egeu e pretende, também, combater o crime transfronteiriço, explica a PM em comunicado: “A área de operações será próxima da ilha de Lesbos, num sector de 20X20 milhas náuticas, onde a PM fará patrulhas diárias de 6 horas durante a noite.”

Área de Operações da Polícia Marítima

Aréa de Operações da Polícia Marítima no mar Egeu / Fonte: Marinha Portuguesa

Além de Portugal e da Grécia, participam outros 16 estados-membros da UE, e ainda a Albânia e a Ucrânia. Diversas organizações europeias como a EUROPOL (European Police Office), a EMSA (European Maritime Safety Agency) ou a EASO (European Asylum Support Office), também integram a missão.

Na equipa portuguesa estará um agente como “oficial de ligação no  International Coordination Center (ICC) no Pireu”, um subchefe e outros cinco elementos como “guarnição de embarcação”. Para apoio técnico e manutenção, foi ainda destacado um sargento-chefe maquinista naval, que estarão a bordo da embarcação semisemirrígida cabinada “Tejo”, com 10,8 metros de comprimento, 3,8 metros de boca, dois motores diesel interiores, autonomia de 300 milhas náuticas e uma velocidade máxima de 32 nós.

A missão, que conta ainda com a contribuição do Comando Naval, da Superintendência do Pessoal, do Instituto Hidrográfico, da Superintendência das Tecnologias da Informação e da Superintendência das Finanças, termina no último dia deste ano.

“O objetivo é contribuir para o esforço de patrulhamento da fronteira marítima externa da União Europeia, em Lesvos, junto à costa da Turquia, em cooperação com a Guarda-Costeira Grega”, explica a Marinha Portuguesa, no mesmo documento.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)