Ai Weiwei é um dos homens mais vigiados pelas autoridades de Pequim. Em 2010, o artista e ativista chinês  foi colocado em prisão domiciliária e acabou detido um ano mais tarde. Desde essa altura que estava proibido de sair do país — mas em julho passado foi-lhe devolvido o passaporte. Com o documento na mão, Weiwei foi logo de viagem. Esteve ausente durante dois meses e visitou várias cidades europeias. Em Londres, organizou uma grande exposição, que está patente na Royal Academy of Arts até 13 de dezembro. Quando voltou a casa, em Pequim, encontrou algo inesperado.

Segundo conta o The New York Times, o artista descobriu uma série de aparelhos de escuta na sua casa e no seu estúdio. Ai Weiwei fotografou um emaranhado de fios elétricos e o que parece ser um desses aparelhos pendurado na tomada elétrica — e publicou as imagens na sua conta do Instagram.

View this post on Instagram

哈哈

A post shared by Ai Weiwei (@aiww) on

View this post on Instagram

总是会有惊喜。

A post shared by Ai Weiwei (@aiww) on

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Para além das fotografias, Ai Weiwei publicou ainda um vídeo onde acende uns pequenos foguetes dentro de um balde de plástico junto às escutas. O objetivo parece ter sido o de fazer o máximo de ruído para quem estava do outro lado.

View this post on Instagram

听到了么?

A post shared by Ai Weiwei (@aiww) on

À CNN, o artista afirmou que a instalação era profissional: “Só pode ter sido um trabalho da polícia ou dos serviços de segurança”. Ai Weiwei não sabe quando é que as escutas foram colocadas, mas admite a hipótese de isso ter acontecido há algum tempo.