Um estudo recentemente publicado na revista Addictive Behaviors revela que existe uma possibilidade de a utilização de cigarros eletrónicos estar relacionada com outros comportamentos aditivos.

A investigação foca-se nos efeitos secundários da utilização dos cigarros eletrónicos – e não apenas do seu impacto direto na saúde – e sugere que esta pode estar relacionada com o abuso de álcool, divulga o EurekAlert.

Os investigadores da Universidade de Indiana e Universidade Purdue, em Indianopolis, nos Estados Unidos da América queriam perceber se a forte correlação entre fumar cigarros e beber detetada em estudos anteriores, também existia entre a utilização de cigarros eletrónicos e beber.

O estudo foi realizado com dois grupos, um de 692 e outro de 714 pessoas que bebem álcool e que responderam a uma versão modificada do inquérito NOSIE (Nicotine and Other Substance Interaction Expectancy Questionnaire), com questões sobre a interação do consumo entre nicotina e outras substâncias.

Os resultados dos dois grupos revelam que a utilização de cigarros eletrónicos leva ao consumo de álcool e vice-versa. Os utilizadores de cigarros eletrónicos revelaram uma maior tendência para beber do que os não-utilizadores.

Com a cessação tabágica (de cigarros com nicotina) a tendência é que os fumadores que também bebem reduzam o consumo de álcool. Mas para os investigadores, estes resultados sugerem que o uso de cigarros eletrónicos com o intuito de deixar de fumar pode trazer como efeito secundário a não-redução do consumo de álcool.

“Quando se para de fumar isso afeta outros comportamentos associados ao tabagismo, tais como beber “, disse Alexandra Hershberger, autora principal do estudo ao EurekAlert. “Ao substituir o tabaco pelo uso do cigarro eletrónico, o risco de comportamentos associados, tais como beber, não diminuem. E isso pode ser particularmente grave para pessoas com dependência de álcool – a utilização destes cigarros pode tornar mais difícil a redução do consumo de álcool.”