Os Oxford Dictionaries nomeiam, todos os anos, a palavra do ano. Palavras ou expressões usadas por todo o mundo, que refletem o que se passou e o que marcou no ano em questão. Mas neste ano de 2015 não ganhou uma palavra, nem uma expressão mas um boneco que enche os telemóveis.

“Pela primeira vez, a palavra do ano dos dicionários Oxford é pictográfica: oficialmente, é um emoji que se chama ‘Cara com lágrimas de alegria’, embora possam conhecê-lo com outras designações” afirma em comunicado a Universidade de Oxford, responsável pela eleição. O galardão foi então para a carinha a chorar a rir. E justifica-se porque e, apesar, de ela andar por aí desde os anos 90 “a cultura emoji explodiu globalmente no último ano”.

Sinal dos tempos dizem alguns. Mais do que palavras ditas, utilizam-se, nos dias de hoje os carateres dos telefones. Só que esta decisão já está envolta em polémica. Muitos argumentam o óbvio: o rosto amarelo com lágrimas não é uma palavra. Mas como diz Caspar Grathwohl, presidente dos Dicionários de Oxford, “os emoji estão a tornar-se numa forma cada vez mais rica forma de comunicação, uma das que transpõe as fronteiras linguísticas”.