O Banco de Portugal vai pagar mais de oito milhões de euros à Fábrica Nacional de Moneda y Timbre pelo fornecimento do papel fiduciário que será usado no fabrico de notas de 50 euros.

O contrato foi fechado com a congénere espanhola da Imprensa Nacional Casa da Moeda foi em junho e com um valor de 8,422 milhões de euros, por ajuste direto. A empresa espanhola, que é detida pelo Estado e tem a tutela do Ministério das Finanças local, irá entregar quase 11 mil resmas de papel (10.978) entre 2015 e 2016. 

E porquê a escolha da Fábrica Nacional la Moneda? Em resposta ao Observador, fonte oficial do banco central explica que o papel fiduciário usado na produção de notas tem características muito específicas: é constituído apenas por fibras de algodão (ao contrário do que sucede no papel comercial) e incorpora elementos de segurança da nota.

Nessa medida, só existem nove produtores credenciados pelo Banco Central Europeu para fornecer o papel fiduciário e nenhum deles é português. O Banco de Portugal adianta que “consulta todos os produtores de papel credenciados e adjudica àquele que apresente o preço mais baixo” (que é o único critério de adjudicação). 

E a Fábrica de La Moneda será um dos fornecedores mais competitivos, pelo menos nos últimos tempos. Desde 2013, a empresa espanhola já recebeu quatro encomendas de papel fiduciário por parte do Banco de Portugal, no montante total de 13,5 milhões de euros. 

O último contrato, que se refere ao papel destinado à impressão de notas de 50 euros, da quota atribuída a Portugal para 2015 e 2016, é o maior obtido pela empresa espanhola.

A impressão destas quotas de notas é atribuída pelo BCE. O fabrico das notas é uma competência da empresa Valora, que é detida em 100% pelo Banco de Portugal. Para além de Espanha, os outros produtores credenciados pelo BCE estão em França (dois), Itália, Holanda, Alemanha, para além do Reino e Suécia (dois países que não fazem parte da zona euro) e da Suíça (que não é da União Europeia). 

Nova nota de 20 euros

Esta semana, a partir de 25 de novembro, entrará em circulação, em Portugal e nos outros países da área do euro, uma nova nota de 20 euros que é apresentada publicamente esta terça-feira.

A nova nota de 20 euros pertence à série “Europa”. Esta série, segundo o Banco de Portugal, apresenta novos elementos de segurança, que tornam as notas ainda mais seguras e mais resistentes à contrafação. A primeira nota da série “Europa” a entrar em circulação foi a nota de 5 euros, a 2 de maio de 2013, seguida da nota de 10 euros, a 23 de setembro de 2014.