O ministro dos Negócios Estrangeiros belga, Didier Reynders, colocou em dúvida, numa entrevista do diário ‘Le Soir’, que os atentados de Paris, que fizeram 130 mortos e 350 feridos, tenham sido preparados na Bélgica.

“As investigações dirão onde foram organizados os atentados, eu não sei, estou longe de estar seguro de que os atentados de Paris se tenham organizado aqui”, afirmou o diplomata nas declarações a este jornal belga.

O ‘Le Soir’ recorda que o ministro está há vários dias a dar entrevistas a meios de comunicação social estrangeiros, procurando melhorar a imagem negativa da Bélgica, que ficou muito vinculada à preparação e organização dos ataques terroristas de 13 de novembro.

Reynders explicou que é preciso colocar as coisas no contexto, não negar os problemas, mas reconhece que a comunicação não tem sido a melhor nos últimos dias.

Para o governante belga, a responsabilidade pelos ataques é repartida, porque de um lado estão os fundamentalistas radicais, mas por outro lado as autoridades públicas também podem ser responsabilizadas, porque permitiram que se tenham criado guetos, não deram acesso suficiente à educação nem permitiram que certas pessoas se tenham integrado na sociedade através do trabalho”.

“Estes guetos existem em cidades como Bruxelas e Antuérpia, mas também em subúrbios como os de Paris”, sublinhou.