“Estou habituado às críticas e, passe a imodéstia, estou absolutamente imune e não tenho nada que me pese na consciência”, disse João Soares reagindo à polémica da exoneração de António Lamas, presidente do Centro Cultural de Belém.

O ministro da Cultura referiu ainda que ao longo dos seus 66 anos de vida procurou “ser um homem decente” e é “com decência” que trata todos aqueles com quem se relaciona.

Sobre o eixo Ajuda-Belém e a extinção do plano estratégico chefiado por António Lamas, o ministro da Cultura declarou que a única razão que via no momento para se pronunciar sobre ele era estar em visita ao Comité Olímpico Nacional, que se situa em Belém. Mais palavras sobre a polémica em questão seria de “uma extrema deselegância” para com os ideais olímpicos, disse em declarações aos jornalistas.