Comida

Um comboio presidencial no Douro, duas estrelas Michelin na cozinha. All aboard?

9.280

Os ingredientes: um comboio presidencial restaurado, a cozinha do Vila Joya, e a paisagem do Douro. A receita final: uma série de dez viagens, entre Porto e Pinhão, com almoço incluído. E não só.

Autor
  • Tiago Pais

Existe uma autora famosa pela leveza da respetiva literatura que garante, no título de uma das suas obras mais vendidas, que não há coincidências. Talvez não haja, de facto, vai se lá saber. Certo é que é difícil descrever com outra expressão que não coincidência, acaso ou eventualidade, a forma como Gonçalo Castel-Branco se deparou com o antigo comboio presidencial que vai servir de palco ao evento que está prestes a organizar: o Vila Joya no Douro.

Estava a ver carruagens no Entroncamento [onde fica o Museu Nacional Ferroviário] para um outro programa que estou a produzir, relacionado com música, quando, do nada, encontrei este comboio. Disse logo às pessoas com quem estava, ‘este é inacreditável, pena é não andar!’, recorda Gonçalo.

Mas o comboio andava. Mais: não só andava como fora totalmente recuperado entre 2010 e 2013, estando, por isso, a pedir uma ocasião à altura da sua grandiosidade para voltar aos carris. Só que o programa que motivara a demanda inicial de Gonçalo tinha acabado de ser adiado. Um aparente obstáculo que não demorou a transformar-se numa oportunidade de fazer algo diferente, graças a uma sugestão inesperada. Nas palavras do produtor: “Quando se adiou o programa quis arranjar um projeto novo para poder pegar no comboio presidencial. E até acabou por ser a minha filha, que tem 11 anos, adora cozinhar, e é um pequeno génio da cozinha, que me disse: ‘ porque é que não fazes uma coisa qualquer com comida?'”

AJC_3994

O comboio presidencial circulou, com esse estatuto, entre 1910 e 1970.
(foto: © Arlindo Camacho)

Porquê um comboio?

Gonçalo Castel-Branco tornou-se um apaixonado por comboios quando atravessou os Estados Unidos naquele que diz ser “o melhor comboio privado do mundo”. Foi em 2012, enquanto trabalhava, como estratega político, na campanha de Barack Obama. “Andar de comboio dá-te uma perspetiva nova, mostra-te um país que desconheces completamente”, explica.

A filha sugeriu, o pai consentiu. E o evento começou a ganhar forma. Gonçalo pensou imediatamente na linha do Douro como cenário ideal. Contas feitas, tinha um comboio único, uma linha funcional, uma paisagem incrível, faltava-lhe, para completar a equação, uma experiência gastronómica à altura. É aí que entra o Vila Joya, que para Gonçalo Castel-Branco “é o melhor restaurante português”. Decidiu enviar um email a Joy Jung, a proprietária, com um título sugestivo — “Em setembro, o Vila Joya tem vista para o Douro” — e um convite para tomarem café.

(Setembro? Mas o evento não é em abril? Gonçalo Castel-Branco explica: “A intenção original era fazer no outono, mas o comboio não tem aquecimento, por isso não quisemos arriscar que a experiência pudesse ser prejudicada pelo frio. É que até te podem servir a melhor comida do mundo, mas se tiveres frio nos pés não consegues pensar noutra coisa”)

Joy gostou imediatamente da ideia, mas não dependia apenas dela: era preciso a aprovação de Dieter Koschina, o chef austríaco responsável pelas duas estrelas Michelin do restaurante. “Fui então com o Koschina ao Entroncamento mostrar-lhe o comboio. Ele veio comigo no carro, com uma pose muito austríaca, sem falar muito, até passou um bocado da viagem a dormir. Mas quando chegámos, bastou-lhe ver a primeira carruagem para sorrir e dizer ‘vamos fazer isto’.”

AJC_3798

Uma das cabines/divisões privadas, com direito a lavatório próprio.
(foto: © Arlindo Camacho)

E o que é ‘isto’? Nada mais nada menos que uma dezena de passeios a bordo do antigo comboio presidencial, de 6 a 10 e de 13 a 17 de abril, com partida (11h30) e chegada (18h30) à estação de São Bento, no Porto, e paragem, a meio, na estação de Pinhão, em pleno Douro Vinhateiro. Em cada um desses passeios, os 60 passageiros terão direito a um menu de degustação de quatro pratos de autoria de Dieter Koschina, harmonizado com vinhos Niepoort. O itinerário previsto inclui ainda uma prova de vinhos do Porto da Taylor’s, na Quinta da Roêda.

Reunidos os ingredientes principais, definidas as datas e os horários, Gonçalo tratou de chamar outros parceiros para, como diz, “não haver nada neste evento que não seja o melhor do país”. Juntaram-se assim à festa a Delta, para que a respetiva cafeína evite o adormecimento pela paisagem bucólica, a Casa da Música, que vai definir a banda sonora da viagem, a Castelbel, que tratará dos sabonetes e difusores das casas de banho, ou a Vista Alegre, responsável por loiças e afins.

Quero que isto seja uma experiência rica em todos os sentidos. Uma espécie de Disney para adultos, em que as pessoas sintam que alguém pensou nos detalhes todos”, explica Gonçalo Castel-Branco.

AJC_3831

O comboio está cheio de pormenores deliciosos, como este. Esperemos, contudo, que ninguém tenha de o usar. (foto: © Arlindo Camacho)

As carruagens estão a ser adaptadas ao evento com o mínimo de intervenção. O caso mais complicado será o da cozinha, apesar de servir essencialmente para finalizar os pratos — o grosso da confeção será feito na cozinha do The Yeatman, até por uma questão de normas de higiene e segurança.

Porquê este comboio?

Para começar, e como se pode perceber pelas fotografias, trata-se de um exemplar único, cuja obra de restauro foi, segundo Maria José Teixeira, gestora de projeto do Museu Ferroviário, “a maior da Europa a nível ferroviário.” Esteve ao serviço da República entre 1910 e 1970 e servia para transportar comitivas oficiais. Incluía um vagão cozinha, uma carruagem-restaurante e salões separados para Chefe de Estado, ministros, seguranças e, finalmente, jornalistas.

O salão que já servia de restaurante durante a (primeira) vida útil da composição não precisa, sequer, de retoques: é nele que se servirão boa parte das refeições. Já o que acolhia os ministros vai ser transformado em bar. E o bilhete inclui também um lugar sentado nas antigas cabines privadas que acolheram o descanso das comitivas. Por falar em bilhetes: uma quantidade razoável deles já foi vendida. Mas ainda é possível garantir o embarque. E atenção, comboios como este não partem muitas vezes.

O quê? Vila Joya no Douro
Quando? De 6 a 10 e de 13 a 17 de abril, entre as 11h30 e as 18h30
Onde? A bordo do antigo comboio presidencial, com partida da Estação de São Bento, no Porto
Quanto? Cada pack passageiro custa 350€. Há condições especiais para grupos
Reservas: Através do site oficial ou do email info@vilajoyadouro.com

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)