O chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, apresentou hoje a candidatura de António Guterres às Nações Unidas aos seus homólogos da Geórgia e da Ucrânia, assinalando que este país integra atualmente o Conselho de Segurança da ONU.

O governante português manteve hoje reuniões bilaterais com os seus homólogos da Ucrânia e da Geórgia, à margem da reunião ministerial do Conselho da Europa, em que participou, em Sófia, capital da Bulgária.

Em declarações à Lusa, o ministro Santos Silva referiu que Portugal, Ucrânia e Geórgia têm uma “tradição de apoio recíproco” em candidaturas internacionais e, nesse sentido, aproveitou os encontros para apresentar a corrida do antigo primeiro-ministro socialista António Guterres a secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

No caso da Ucrânia, o tema ganha “especial relevância”, notou o ministro, visto que Kiev é atualmente um dos membros não permanentes do Conselho de Segurança da ONU, que deverá iniciar a sua seleção até ao final de julho, fazendo depois a sua recomendação à Assembleia Geral.

Santos Silva revelou que os governos de Lisboa e de Kiev estão a preparar “vários acordos, nomeadamente de cooperação económica”, que deverão ser assinados no início do outono, numa visita do chefe da diplomacia ucraniano a Portugal.

Durante a sua intervenção na sessão ministerial do Conselho da Europa, o governante português abordou o conflito no leste da Ucrânia e defendeu que “apenas uma solução política pode trazer paz e estabilidade” à região.

“Este conflito continua a causar um imenso sofrimento humano e violações dos direitos humanos. Sublinhamos a importância de garantir o respeito pelo direito internacional”, sustentou Santos Silva, que reiterou o apelo para que “todas as partes respeitem inteiramente as condições previstas nos acordos [de cessar-fogo] de Minsk”.

Quanto à Geórgia, o ministro destacou as “relações políticas e culturais bastante boas” entre os dois países, mas sensibilizou para a importância de serem desenvolvidas as relações de natureza económica.