A Seedrs — uma plataforma de crowdfunding luso-britânica liderada pelo português Carlos Silva — foi a startup que mais empresas financiou no Reino Unido, no primeiro trimestre de 2016. Os dados constam de um relatório publicado esta quarta-feira pela Beauhurst, uma firma britânica que acompanha a evolução das scaleups e startups que operam nesse mercado.

O relatório The Deal Q1 2016 revela que a Seedrs foi a plataforma que mais negócios financiou no Reino Unido, entre 1 de janeiro e 31 de março deste ano, de entre as que operam no mercado de crowdfunding de ações. Ao todo, a Seedrs ajudou a financiar 37 negócios no primeiro trimestre deste ano, mais sete do que a Crowdcube e mais 26 do que a Business Growth Fund (BGF). Três destas 37 operações implicaram valores superiores a um milhão de libras (cerca de 1.3 milhões de euros, à taxa de câmbio atual).

A Seedrs funciona como uma espécie de Shark Tank público, pois permite a qualquer pessoa investir em projetos em que acredite. O valor mínimo de investimento por projeto é de 10 euros ou 10 libras.

A notícia chega um dia depois de a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) ter publicado as as novas regras do financiamento colaborativo de capital ou por empréstimo. O documento – que esteve em consulta pública durante vários meses – estabelece os direitos e deveres de quem gere as plataformas de financiamento colaborativo e de quem beneficia das campanhas.

A partir de agora, os investidores com rendimentos anuais inferiores a 70 mil euros não podem ultrapassar os três mil euros por oferta e os dez mil euros anuais investidos em financiamento colaborativo. A regra não se aplica, no entanto, aos “investidores qualificados nos termos das alíneas a) a k) do artigo 30.º do Código dos Valores Mobiliários”.

Fundada em 2012, a Seedrs contribuiu para o financiamento de mais de 350 empresas europeias, oriundas de 24 países diferentes. As operações de financiamento da plataforma atingiram os 86,2 mihões de euros em 2015. Atualmente, a Seedrs é a plataforma líder em equity crowdfunding no Reino Unido, alcançando neste trimestre uma quota de mercado de 52% na região, segundo o relatório da Beauhurst.

Em janeiro, a Seedrs anunciou que pretende duplicar o número de colaboradores até ao final do ano.