A apresentadora brasileira Ana Hickmann foi ameaçada por um fã na posse de uma arma de fogo. O homem acabou por ser morto pelo cunhado da apresentadora. O episódio aconteceu no último sábado, dia 21 de maio, no hotel onde a também modelo estava hospedada, na região centro-sul de Belo Horizonte, no Brasil. Hickmann foi abordada por um fã aparentemente obcecado que estava alojado na mesma unidade hoteleira.

O cunhado da apresentadora é suspeito de ter baleado mortalmente o alegado fã em legítima defesa, no decorrer de uma luta corpo a corpo. Na sequência da luta, a mulher do cunhado foi baleada, sendo que Hickmann saiu ilesa da situação. A arma de fogo em causa estava na posse do fã e tinha o respetivo número de série apagado.

De acordo com o G1, que cita fontes policiais, o homem armado entrou no hotel, abordou o cunhado e exigiu que este o levasse ao quarto de Hickmann — dentro da divisão ficaram Hickmann, o cunhado e a sua mulher. A dada altura o fã, já identificado como sendo o brasileiro Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, obrigou o trio a ficar de costas.

O cunhado resistiu e Rodrigo disparou a arma de fogo, atingido a mulher deste. Os dois homens entraram depois numa luta corpo a corpo, com o fã ser baleado mortalmente. Disparada a arma de fogo, o cunhado da apresentadora dirigiu-se à receção do hotel onde entregou a arma, calibre .38, e chamou a polícia. A sua mulher, baleada por duas vezes, encontra-se hospitalizada.

O fã, que acabaria por morrer, tinha uma aparente obsessão pela modelo brasileira — a sua conta de Instagram, onde foram publicadas sucessivas imagens e mensagens dedicadas a Hickmann, parece comprová-lo. O próprio irmão de Rodrigo Augusto de Pádua contou aos jornalistas da existência de mensagens de Rodrigo onde este dizia corresponder-se com a apresentadora.

O caso está na ordem do dia na imprensa brasileira, com o G1 a divulgar imagens do hotel e a revista Veja a dar conta de uma conversa gravada entre os quatros intervenientes.