Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Em vésperas da apresentação formal do novo veículo utilitário da Citroën, eis que surgem, como que por milagre, as primeiras imagens do futuro C3. Não é uma estratégia nova, nem ninguém acredita que estas fugas aconteçam por acidente. Mas lá que animam o sector, isso animam.

As duas fotos, uma de três quartos de frente e outra de traseira, revelam o modelo definitivo e permitem desde logo concluir que o novo modelo respeita o ar de família iniciado na Citroën com o C4 Cactus, com uma frente em que os LED de iluminação diurna, muito finos e esguios, surgem na continuidade da grelha, também ela horizontal e afilada.

Lateralmente, regressam as protecções das portas em plástico macio e com bolsas de ar, tipo C4 Cactus, mas menos volumosas. O novo C3 parece maior, no comprimento e entre eixos, o que deixa antever uma habitabilidade superior, sendo simultaneamente atraente e exibindo um certo ar de SUV. Impressão que é reforçada pelas protecções em plástico dos guarda-lamas, que depois se prolongam pelas embaladeiras, sob o veículo, para além das zonas inferiores dos pára-choques à frente e atrás.

Amanhã saberemos mais. Sobretudo, no que respeita à gama prevista para o mercado português e respectivos preços.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR