Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

É já uma das estrelas deste Euro 2016 e nem precisou de entrar nas quatro linhas para deslumbrar uns e divertir outros tantos com as suas performances. O comentador islandês Guðmundur Benediktsson só precisou de um microfone e de ver a Islândia a marcar golos para dar voz (e que voz) ao seu entusiasmo.

Guðmundur Benediktsson tornou-se conhecido um pouco por toda a Europa depois da reação eufórica à vitória da Islândia contra a Áustria. A forma como celebrou o golo de Arnor Traustason, o segundo da equipa, e que garantiu o apuramento para os oitavos de final tornou-se viral.

https://www.youtube.com/watch?v=Smv99oVrcI8

Se a vitória face aos austríacos foi celebrada assim, com a derrota da Inglaterra, Guðmundur Benediktsson gritou (ainda) mais. O entusiasmo do relato voltou a atingir níveis impróprios para cardíacos quando Kolbeinn Sigthórsson marcou o golo, também o segundo, que deu à vitória à Islândia, por 2-1.

Desta vez, os comentários de Benediktsson foram traduzidos pelo jornal Independent e para além da reação emocional, conseguimos também perceber o que disse sobre o “Brexit” da Inglaterra do Euro 2016, logo depois do apito final.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Está feito! Está feito! Não vamos para casa! Viram aquilo? Viram aquilo? Não quero acordar deste sonho incrível!

Boo, Inglaterra, como vocês gostam! A Islândia vai jogar contra a França no domingo! França–Islândia! Podem ir para casa. Podem sair da Europa. Podem ir para o diabo que vos carregue!

Inglaterra 1, Islândia 2 é o resultado final aqui em Nice. E o conto de fadas continua.”

https://www.youtube.com/watch?v=Sq-ojeb6Rz8

A Islândia foi a primeira seleção que Portugal defrontou no Euro 2016. O resultado foi um empate a uma bola.

A forma como relata só é comparável à forma incrível como a equipa da Islândia celebra com os adeptos. Para além de ser comentador desportivo do canal islandês Sjónvarp Símans, Guðmundur Benediktsson era também treinador-adjunto do clube islandês KR Reykjavik, mas foi dispensado devido aos maus resultados da equipa. O facto de ter sido despedido do seu emprego a tempo inteiro não parece ter afetado a disposição do ex-jogador de futebol que também fez parte da seleção da Islândia.

Guðmundur Benediktsson foi internacional islandês entre 1994 e 2001, ano em que jogou pela última vez pela seleção num jogo contra o Chile. O comentador é também pai de Allbert Guðmundsson que lhe seguiu as pisadas e é atualmente jogador do clube holandês PSV Eindhoven.