Euro 2016

Marcelo Rebelo de Sousa vai condecorar os jogadores com ordem de comendador

1.798

O Presidente da República só não sabia qual o grau da insígnia a atribuir à equipa, mas, com a vitória em França, vão ser comendadores. António Costa diz que "todos os portugueses ansiavam por isto".

AFP/Getty Images

Marcelo Rebelo de Sousa acreditou sempre na vitória de Portugal e disse que a equipa foi resistente e capaz de aguentar tudo — mesmo as cargas dos jogadores franceses. O Presidente vai condecorar todos os jogadores em Belém com a Ordem de Mérito, com o grau de comendador. António Costa, primeiro-ministro, diz que a vitória saiu cara com a lesão de Cristiano Ronaldo, que vai ficar “várias semanas” lesionado, mas a equipa conseguiu ir em frente.

“Estava a vibrar a pensar nos portugueses que vivem em todo o mundo e sofrem coisas incríveis e a alegria que vão ter amanhã quando aparecerem nos seus empregos e são campeões”, disse o Presidente da República na zona VIP do estádio de Saint Dennis, onde decorreu o jogo Portugal-França. “Nós somos um máximo”, acrescentou o Presidente elogiando ainda a tática de Fernando Santos e ressalvando que “num ambiente hostil”, a seleção conseguiu ganhar.

Quando voltarem a Portugal, o Presidente vai condecorar a equipa campeã da Europa. A única dúvida até agora era o grau, já que Marcelo Rebelo de Sousa tinha tomado a decisão de os condecorar quer os 23 eleitos trouxessem ou não a taça. Agora, o Presidente esclareceu que a condecoração será a Ordem de Mérito, com grau de comendador.

António Costa, também presente na tribuna, considerou que “todos os portugueses ansiavam por isto” e que a vitória acabou por sair cara com a lesão de Portugal. A Manuel Valls, primeiro-ministro francês, e a François Hollande, Presidente da República francês, Costa deu um abraço e os parabéns a França pela organização deste campeonato. “Eles reconheceram que Portugal mereceu o jogo”, indicou o primeiro-ministro.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)