O Banco de Portugal nomeou, sob proposta do Fundo de Resolução, António Manuel Palma Ramalho para o cargo de presidente do conselho de administração do Novo Banco. António Ramalho vai substituir Eduardo Stock da Cunha e deixa assim a presidência da Infraestruturas de Portugal (IP). O comunicado do Banco de Portugal sublinha a experiência do gestor no setor financeiro onde foi presidente da Unicre e administrador do BCP entre 2010 e 2012.

Ramalho foi ainda presidente da CP e da Estradas de Portugal, tendo assumido a liderança da IP no ano passado, na sequência da fusão entre a empresa de estradas e gestora da rede ferroviária. O projeto de criação do grupo empresarial do Estado foi apadrinhado pelo então secretário de Estado das Obras Públicas, Sérgio Monteiro, que está atualmente a coordenar o processo de venda do Novo Banco. A seu cargo ficará também a execução do plano de reestruturação negociado com a Comissão Europeia.

António Ramalho assume a liderança do Novo Banco, a partir de 1 de agosto, numa altura decisiva do processo de venda, depois de terem sido recebidas quatro ofertas de compra que ainda estão a ser analisadas. O Banco de Portugal agradece a Eduardo Stock da Cunha que liderou o Novo Banco desde setembro de 2014, depois da equipa de Vítor Bento ter batido com a porta devido a divergências quanto à estratégia para a instituição que resultou da resolução do Banco Espírito Santo.

Stock da Cunha regressa ao Lloyds Banking Group, tal como estava previsto. A administração do Novo Banco perdeu ainda José João Guilherme que renunciou ao cargo.