Rádio Observador

Cabelo

Penteados e truques sem secador para quando o calor aperta

153

Se é daquelas que fica com uma juba quando o cabelo seca ao ar livre, reunimos algumas dicas simples que ajudam a controlar até a cabeleira do Rei Leão. Na fotogaleria tem sugestões de penteados.

Os termómetros têm andado a bater os 30 graus dia após dia – bom para ir para a praia, mau para quem tem de trabalhar e sair de casa com o cabelo minimamente decente. Porque isso implica secar o cabelo. E secar implica ar quente. E ar quente significa sair de casa já suada. Mas porque o sonho de tomar banho e deixar o cabelo ao ar livre não está ao alcance de toda a gente — acredite, eu fico com uma juba se o fizer — reunimos algumas dicas e truques que permitem sair de casa sem pegar no secador.

Usar toalhas de papel

As toalhas convencionais criam atrito no cabelo. Mas para se conseguir pentear, é preciso retirar toda a humidade dos fios molhados. Adir Abergel, um dos mais conhecidos hair stylists de celebridades, disse à revista Vogue espanhola que as toalhas de papel são a melhor solução. Na prática, pode usar mesmo o papel de cozinha. Seque o cabelo de baixo para cima (com a cabeça virada para baixo) e o milagre acontece: vai gastar rolos de papel de cozinha, mas os fios perdem o frizz.

Usar ganchos com o cabelo molhado

A ideia é deixar o cabelo secar ao natural mas com algum controlo. Penteie bem o cabelo e, de seguida, coloque-o atrás das orelhas e prenda com ganchos toda a zona acima de cada orelha. Quando estiver seco, pode soltar. O que os ganchos vão fazer é controlar a raiz do cabelo mas dar movimento em torno do rosto.

Coques e tranças para criar ondas naturais

Isto funciona bem com quem toma banho à noite. Com o cabelo molhado (mas bem seco com as toalhas de papel), divida-o ao meio e faça duas tranças, enrolando-as, de seguida, em dois coques laterais e prendendo com um elástico. Quanto mais tempo os cabelos ficarem presos, mais definidas as ondas vão ficar. Como dormir com dois coques laterais é impossível, mantenha os coques o mais tempo possível e, quando se deitar, desmanche-os mas durma com as tranças. De manhã, desfaça as tranças com os dedos, conforme o visual que pretender, e finalize com um óleo leave-in nutritivo para deixar o cabelo macio e brilhante.

Aplicar espuma em seco

Se quiser criar umas ondas mais rápidas de manhã (e se tiver tempo suficiente para isso), deixe o cabelo secar ao ar e, já seco, aplique uma espuma ou mousse própria para ondas, divida o cabelo em quatro ou cinco secções, enrole-as com os dedos e prenda-as com uma pinça. Deixe ficar durante 45 minutos e, antes de sair de casa, desfaça-as e abra as ondas com os dedos.

Laca não é só para as nossas avós

Se é daquelas que, quando o cabelo seca ao ar, fica igual a uma juba, também há solução. Segundo a Vogue espanhola, quando o cabelo estiver completamente seco, baixe a cabeça e vaporize laca dando ênfase nas raízes. De seguida, levante e despenteie com as mãos. Este é um bom truque para quem tem cabelo normal, nem demasiado fino, nem demasiado grosso.

Beach waves e sprays de sal

Os sprays de sal são os melhores amigos do verão e até já tínhamos falado deles no ano passado. Vão recriar o efeito ondulado pela água do mar e são uma forma rápida de ter o cabelo apresentável quer para sair, quer para trabalhar. Ainda molhado, aplique spray de sal e faça várias tranças baixas. Deixe o cabelo secar entrançado e, no fim, desfaça-as com as mãos.

Tenha o champô seco à mão

Esta é uma dica que funciona bastante bem em quem tem cabelo liso e fino. Deixe o cabelo secar ao ar livre e, depois de bem seco, vaporize champô seco em todo o comprimento e deixe atuar durante dois/três minutos. De seguida, escove o cabelo — o champô seco cria estrutura nos fios, deixando-os mais soltos.

Na fotogaleria, em cima, sugerimos alguns penteados que pode fazer de manhã de forma rápida, sem necessidade de passar o secador no cabelo.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)