Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Não havia um lar que pudesse receber os dois, pelo que Wolfram Gottschalk e a sua mulher, Anita, tiveram de ir para casas de repouso diferentes, longe uma da outra. Foi a primeira vez que Wolfram e Anita se viram separados desde que se casaram, em 1954, na Alemanha. Emigrados no Canadá há várias décadas, o casal está há oito meses a ver-se esporadicamente e o idoso acaba de ser diagnosticado com linfoma. Cada vez que têm de se despedir, surgem as lágrimas. A neta, “farta”, partilhou a fotografia nas redes sociais — e esta tornou-se viral.

Para a autora da fotografia, Ashley Kaila Baryik, é “a foto mais triste” que algum dia tirou.

14089169_10153881147493295_6969255668475413044_n

A jovem, neta do casal, explica que o seu “Opi” e a sua “Omi” estão casados há 62 anos mas há oito meses que, “por culpa de burocracias e atrasos” no sistema de saúde e segurança social, veem-se longe um do outro no dia a dia. Só estão juntos quanto a família pode levar um junto do outro, percorrendo uma distância de 30 minutos de carro. Coincidência ou não, o idoso acaba de ser diagnosticado com linfoma e a saúde mental agravou-se muito nos últimos meses.

“Eles choram todas as vezes que se veem, o que me parte o coração”, escreveu Ashley.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Será a foto mais triste de sempre? Ou a mais revoltante? Para Ashley, ambas. Mas para os milhares de internautas que partilharam a mensagem de Ashley nas redes sociais, a imagem é, também, uma das mais românticas de sempre.

A partilha de Ashley foi feita com o objetivo de pedir ajuda a alguém que conseguisse agilizar o processo burocrático que permita unir os seus avós. “Quero justiça para os meus avós, que depois de 62 anos juntos merecem passar os seus últimos momentos no mesmo local”.