Um voo da AirAsia que descolou de Sidney com destino à Malásia acabou por aterrar em Melbourne devido a um erro do piloto. Uma investigação da segurança aérea revelou que o piloto inseriu as coordenadas erradas no sistema de navegação.

O voo A330 estava marcado para sair do Aeroporto Internacional de Sydney às 11h55 no dia 10 de março de 2015 e aterrou em Kuala Lumpur, na Malásia, nove horas depois. A tripulação ignorou os alertas do sistema depois de terem inserido as coordenadas erradas. O mau tempo também contribuiu para que o avião aterrasse em Melbourne às 14h.

O aeroporto de Melbourne fica no sudoeste de Sidney a uma distância de 722 km. Já Kuala Lumpur situa-se a 6.611km no nordeste do Aeroporto Internacional de Sidney.

De acordo com um relatório da Australian Transport Safety Bureau (ATSB) publicado esta quarta-feira, o problema que originou esta situação foi que o piloto não tinha proteção de ouvidos e por isso encarregou-se de realizar manualmente as tarefas do cockpit, inclusive a inserção das coordenadas. Estas indicações são geralmente fornecidas ao piloto que só necessitaria de introduzir esta informação no sistema — informa o The Guardian.

O capitão copiou as coordenadas de um sinal que estava fora do avião e que se conseguia ver através da janela do cockpit. No entanto, a leitura destes dados deu erro. Em vez de inserir a longitude 151° 9.8’ leste, digitou incorretamente 15° 19.8′ leste. Segundo a ATSB, este erro “afetou negativamente os sistemas de navegação da aeronave e alguns sistemas de alerta”.

O relatório esclareceu que a tripulação tinha “uma série de oportunidades para identificar e corrigir o erro”. No entanto, só se aperceberam do erro depois de já estarem na direção errada. A tripulação pediu para voltar para Sydney, mas o controlo de tráfego aéreo informou que a aterragem teria de ser realizada sem a assistência dos seus sistemas de navegação — o que não era possível devido ao mau tempo.

O avião aterrou em Melbourne onde esteve três horas para corrigir o problema antes de partir para Kuala Lumpur, onde chegou com seis horas de atraso.

A ATSB disse que “mesmo a tripulação mais experiente não está imune a erros na entrada de dados” e aconselhou a companhia aérea AirAsia a atualizar os seus sistemas de voo para ajudar na prevenção destes erros.