Os bombeiros que combatem as chamas no incêndio que lavra no concelho de Mogadouro, junto às aldeias de Bruçó e Vilarinho dos Galegos, preveem um reforço dos meios terrestres e aéreos ao início da manhã desta quinta-feira.

Segundo o Comandante Operacional Distrital Operações e Socorro de Bragança, Noel Afonso, ao início da manhã o “teatro de operações” será reforçado com meios aéreos pesados e ligeiros e o dispositivo de combate ao fogo terá mais operacionais e veículos no terreno.

“O nosso objeto é dominar o incêndio no menor tempo possível, já que o combate ao fogo tem sido dificultado pelas condições climatéricas adversas”, disse o operacional.

Por volta da 1h00, o incêndio em Mogadouro tinha quatro frentes ativas, e estava a ser combatido por 216 operacionais, apoiados por 81 meios terrestres.

O incêndio deflagrou na terça-feira de manhã na localidade de Fornos, no concelho de Freixo de Espada à Cinta, e foi dominado durante a madrugada, mas na quarta-feira, ao início da tarde, houve um reacendimento.

As chamas alastraram-se aos municípios de Torre de Moncorvo e Mogadouro. O fogo lavra numa zona de mato.

Condições do terreno dificultam combate a fogo em Fóia, Monchique

O incêndio em Fóia, concelho de Monchique, no distrito de Faro, tinha na madrugada desta quinta-feira duas frentes ativas, divididas em quatro setores, com a orografia do terreno a dificultar o combate às chamas, disse o comandante operacional distrital.

Em declarações à agência Lusa pelas 4h00, o comandante operacional distrital de Faro, Vaz Pinto, explicou que a reativação do incêndio às 19h57 foi “muito explosiva” e que o combate estava “a desenrolar-se numa área bastante difícil”.

Por medidas de precaução foram retiradas das suas casas oito pessoas, algumas com mobilidade reduzida, as quais foram realojadas em casas de familiares ou num lar pela proteção civil, indicou a mesma fonte.

O comandante Vaz Pinto disse ainda que “algumas habitações dispersas foram afetadas, mas nenhuma ardeu”, sublinhando que “apenas algumas ruínas ou casas desabitadas foram afetadas”.

Este fogo mobilizava, esta quinta-feira, por volta das 4h00 um total de 268 operacionais, apoiados por 88 meios.

Quatro incêndios em Portugal Continental, nos distritos de Guarda, Bragança, Vila Real e Faro, mobilizavam, à mesma hora, cerca de 750 operacionais apoiados por 249 meios terrestres.