Startups

Aptoide. Startup portuguesa fatura mais de 2 milhões em 2016

825

Fundada em 2011, a Aptoide tem vindo a crescer 100% ao ano, conta com 20 milhões de utilizadores ativos por mês e em 2020 quer estar presente num bilião de equipamentos no mundo todo.

A startup fundada por Paulo Trezentos e Álvaro Pinto levantou 3,7 milhões de euros no início do ano

Aptoide

A portuguesa Aptoide – loja independente de aplicações móveis para Android – tem vindo a crescer 100% ao ano e 2016 não será exceção. Depois de em 2015 ter atingido 1,2 milhões de euros em faturação, o cofundador Álvaro Pinto não tem dúvidas. “A faturação não tem sido o nosso foco principal, temos estado concentrados no crescimento e expansão da plataforma, mas este ano vamos duplicar (ou mais) os resultados do ano passado”, afirmou ao Observador.

A Aptoide foi fundada em 2011 por Paulo Trezentos e Álvaro Pinto. Teve um investimento da Portugal Ventures de cerca de 750 mil euros em 2013 e no final de 2015 fechou uma ronda Série A de cerca de 3,7 milhões de euros (4 milhões de dólares), liderada pela sociedade de capital de risco norte-americana e.ventures e cofinanciada pelas asiáticas Gobi Partners e Golden Gate Ventures. O investimento permitiu que a empresa duplicasse o número de colaboradores, contando atualmente com 65 pessoas.

No início de 2015, atingimos o break-even operacional [ponto de equilíbrio a partir do qual o projeto começa a ser rentável]. Temos dinheiro para as operações, mas queríamos ir mais além. Já tínhamos uma presença interessante na América Latina e Europa, mas notámos que havia um crescimento significativo na Ásia e fomos à procura de investimento que nos permitisse trazer capacidade de expansão nesses mercados”, conta Álvaro Pinto.

Atualmente, a Aptoide tem dois escritórios na Ásia, em Singapura e na China, onde emprega cinco pessoas. O cofundador explica que o mercado do sudeste asiático representa um potencial de 600 milhões de utilizadores para a empresa e que tem crescido cerca de 180% por ano, “quase o dobro” do que nos restantes países.

Aptoide aposta em Smart TV e Realidade Virtual

Em 2015, a Aptoide contabilizou perto de 100 milhões de utilizadores ativos, quando em 2014 eram cerca de 50 milhões. Para este ano, a meta é duplicar o número do ano passado e, atualmente, a empresa regista cerca de 20 milhões de utilizadores ativos por mês e são feito 120 milhões de downloads. As regiões com maior número são o Brasil, México e Estados Unidos e as últimas surpresas vão para o Médio Oriente e Norte de África.

Para os próximos meses, a startup portuguesa vai estar focada em estabelecer mais parcerias a nível internacional, com empresas que estão a apostar no sistema operativo Android, sobretudo em matéria de Smart TV. Além disso, a empresa tem estado a trabalhar no desenvolvimento de uma loja para realidade virtual. “A nossa meta é em 2020 estarmos presentes num bilião de equipamentos no mundo inteiro”, afirma.

Ressalvando que quer reforçar a equipa, sobretudo a nível de marketing, Álvaro acredita que a Aptoide pode ser uma das principais App Stores e que vai reinventar a forma como as pessoas descarregam aplicações no sistema operativo Android. “Até ao final do ano, vamos fechar parcerias em novas áreas, novos produtos e continuar a nossa expansão. Temos várias áreas onde o potencial de crescimento é muito interessante”, adianta.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: apimentel@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)