A vedeta norte-americana Kim Kardashian foi assaltada à mão armada esta madrugada numa residência de luxo no centro de Paris. De acordo com o Le Monde, cinco homens vestidos de polícias deslocaram-se ao complexo em que Kardashian se encontrava hospedada, e dois deles conseguiram entrar no apartamento, levando, sobretudo, joias. O valor do material assaltado ainda está por calcular, de acordo com as autoridades, mas será de mais de dez milhões de euros. Entre os bens roubados, encontra-se um anel que valia quatro milhões.

De acordo com um porta-voz de Kim Kardashian, citado pelo Le Monde, “ela está atordoada, mas não sofreu ferimentos físicos”. Simultaneamente, o marido da celebridade, o cantor Kanye West, interrompeu um concerto do Festival de Meadows, em Nova Iorque, devido a “uma emergência familiar”.

O incidente já está a ter repercussões políticas. Apesar de a presidente da câmara de Paris, Anne Hidalgo, já ter vindo explicar que se tratou de “um ato raro, que aconteceu numa área privada, e que não coloca em causa o trabalho dos polícias na segurança do espaço público parisiense”, os seus opositores já criticaram a falta de segurança da capital francesa. O vice-presidente da Frente Nacional, Florian Philippot, disse no Twitter que “o turismo irá pagar a insegurança crónica de França”. Já a antiga candidata à câmara de Paris Nathalie Kosciusko-Morizet culpou a polícia pelo incidente, lamentando que exista “um sentimento geral de insegurança em Paris”.

Durante o assalto, por volta das 3h da madrugada (4h em Lisboa), os dois homens entraram no quarto da norte-americana e apontaram-lhe uma arma à cabeça. Depois, trancaram-na casa de banho, enquanto levaram, além de várias joias, dois telemóveis, explicou já o ministro do Interior.

A estrela norte-americana estava em França para assistir à semana da moda, onde a sua irmã Kendall Jenner desfilou.