A informação foi esta quarta-feira avançada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, numa nota à imprensa, na véspera do conselho ministerial da ESA, que se realiza na quinta e sexta-feira, em Lucerna, na Suíça, com a presença do ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor.

A proposta que Portugal vai levar ao conselho ministerial, no qual têm assento os ministros dos estados-membros da ESA com a tutela científica e tecnológica, é a de aumentar a quotização do país de 55,5 milhões, anteriormente estimada, para 86,094 milhões de euros, entre 2017 e 2022.

Em declarações à Lusa, o ministro da Ciência, Tecnologia e do Ensino Superior, Manuel Heitor, disse que o aumento proposto “está negociado com a ESA, vai ser fechado amanhã [quinta-feira]”, podendo eventualmente “ser revisto” dentro de dois anos, em sede de novo conselho ministerial.

Manuel Heitor assinalou que “a principal estratégia é assegurar a participação de Portugal em programas de observação atlântica e de lançadores de novos satélites”.