A sorrir, a rir, a falar ou a fazer caretas. Qualquer um destes gestos tem uma coisa em comum: evidenciar as linhas do rosto. E a explicação é simples: isto acontece porque por baixo estão os músculos faciais que se mexem ou contraem conforme a expressão facial.

No que toca ao sorriso, as linhas que se evidenciam são os chamados sulcos nasolabiais, que vão da lateral do nariz até aos cantos da boca e têm a capacidade de abrir o rosto das pessoas em forma de arco e, em alguns casos, até formar covinhas na cara. O problema desta expressão que toda a gente reconhece como de alegria é que, com o passar dos anos, as linhas não desaparecem assim que o rosto se fecha — elas continuam vincadas na cara.

Mas a verdade é que o sorriso não deve arcar com as culpas das rugas. A grande culpada é a elasticidade da pele, que diminui com o passar dos anos. De acordo com Anthony Rossi, dermatologista no Memorial Sloan Kettering Cancer Center, as mudanças biológicas que afetam a pele estão relacionadas com fatores como a perda de gordura e a atrofia muscular. Em declarações à Time, o dermatologista explica que a genética também afeta o envelhecimento da pele e que “diferentes etnias envelhecem de forma distinta”, acrescentando que as concentrações de melanina e a produção de óleo desempenham um papel importante na velocidade a que essas linhas começam a deixar marca.

E embora todos estes fatores fujam ao nosso controlo, há outros que podem ser controlados. Pode e deve evitar a longa exposição solar, que é a maior causa do aparecimento de rugas, bem como beber muita água para que a pele nunca fique desidratada. A água é a maior componente da derme – a camada de pele onde se encontram muitas das proteínas estruturais como o colagénio e a queratina que o fazem parecer jovem. Outro gesto importante é usar cremes faciais apropriados a cada idade e apostar no retinol a partir dos 30, que irá não só estimular a produção de novas células como também aumentar o colagénio.

Rir menos poderia atenuar o processo? Podia. Mas a verdade é que mais cedo ou mais tarde as rugas vão acabar por aparecer e se é para as ter, ao menos que seja porque ri a bandeiras despregadas.