O primeiro-ministro desvalorizou o facto dos juros a 10 anos terem ultrapassado a barreira dos 4% na última quinta-feira. Em declarações aos jornalistas numa escala feita em Frankfurt, a caminho da Índia — país que visitará nos próximos dias –, António Costa definiu o aumento como um “movimento geral” e mostrou-se otimista: “Temos vindo a acompanhar, mestamos muito confiantes, já que vão sendo conhecidos os dados fundamentais da nossa economia“.

De acordo com António Costa, os mercados irão progressivamente “percecionando a realidade da economia portuguesa, designadamente no que respeita à execução orçamental, à redução da dívida líquida e ao facto de termos um dos maiores saldos primários da União Europeia”.

Já sobre o processo de venda do Novo Banco, o primeiro-ministro recusou-se a fazer qualquer comentário, apenas dizendo que vai, naturalmente, acompanhar esse tema. “Sobre essa matéria o Governo já fez na quinta-feira um comunicado e nada temos mais a acrescentar”, referiu o líder do executivo.

António Costa, nas mesmas declarações, não quis falar sobre o Novo Banco, tendo remetido para o comunicado do ministério das Finanças na última quinta-feira.