O BCP avançou com uma ação em tribunal para tentar recuperar uma dívida de mais de 14 milhões de euros de euros à imobiliária Domusliboa, que é controlada por Helder Bataglia e Luís Horta e Costa, que estão igualmente ligados à empresa que detém o empreendimento turístico de Vale do Lobo. De acordo com o Expresso, que avança a notícia, esta a ação é colocada também contra Pedro Ferreira Neto, que entretanto já saiu da Domuslisboa e que também foi administrador da Escom juntamente com Bataglia e Horta e Costa.

De acordo com o Expresso, esta ação visa cobrar uma dívida relativa a um projeto imobiliário na Polónia, onde a Domuslisboa tem participações nas empresas, Real Consulters, Immoinvest e a Krakow City Park. A empresa estará atualmente numa situação de falência técnica com mais de seis milhões de euros de capitais próprios negativos.

Hélder Bataglia, recorde-se, é o ex-líder da Escom e representante do Grupo Espírito Santo (GES) em África, que incriminou Ricardo Salgado na Operação Marquês ao revelar ao Ministério Público (MP) que transferiu 12 milhões de euros para Carlos Santos Silva, alegado testa-de-ferro de José Sócrates, a pedido do ex-presidente executivo do Banco Espírito Santo (BES). Todos foram constituídos arguidos na Operação Marquês.