Este é um daqueles veículos que, ainda antes de ser polémico pelas formas ou pelo preço, é-o pelo nome. Tudo porque o importador para o nosso país da marca coreana decidiu que Kona – a denominação oficial do mini SUV para todos os mercados – poderia ofender os mais sensíveis, ou dar azo a graçolas de gosto duvidoso. E, vai daí, baptizou-o Kauai. Um pouco à semelhança do que a Opel fez em tempos com o Ascona, ou a Unilever com o Rexona.

Com um nome inspirado no de uma ilha emblemática do arquipélago do Hawai, conhecida pela sua beleza natural e exuberância, o Kauai é apontado pelo fabricante como “um marco muito importante na estratégia da Hyundai para atingir o objetivo de se tornar a marca asiática número um na Europa até 2021, com o lançamento de 30 novos modelos e variantes”.

Modelo destinado ao efervescente segmento B, o Kauai vai buscar inspiração, em termos estilísticos, ao Intrado Concept de 2014, sendo que, em termos técnicos, deverá utilizar uma versão modificada da plataforma do novo i20. Acompanhada dos mesmos motores hoje em dia disponíveis no i30.

Já em termos de sistemas de tracção, embora o fabricante nada revele sobre o assunto, tudo parece apontar, até pelo segmento a que se destina, que a opção deverá passar quase exclusivamente por versões de tracção apenas dianteira. Relegando quaisquer potenciais variantes de tracção integral que possam vir a existir, para mercados muito específicos.

Por outro lado, apesar da marca não avançar quando é que será possível conhecer o Kauai na totalidade, as expectativas apontam para que tal possa suceder ainda durante o presente ano. O mesmo acontecendo, de resto, com a chegada ao mercado.

De referir ainda que também a Kia estará a trabalhar na sua versão deste mesmo SUV compacto para o segmento B. Com alguns fontes a avançarem, inclusivamente, com nomes (felizmente) menos polémicos. Um dos mais ouvidos é, Stonic. Certezas e as formas definitivas deste mini SUV da Kia só vão ser conhecidas lá mais para o final do ano.