A Federação Nacional de Professores (Fenprof) vai voltar a manifestar-se esta terça-feira, em Lisboa. São esperados entre 1.500 e dois mil professores, que deverão sair à rua com uma faixa de 550 metros com fotografias de docentes e dos problemas que enfrentam.

A concentração irá começar em frente ao Ministério da Educação, seguindo-se depois para São Bento, onde se situa a residência oficial do primeiro-ministro, António Costa, e o Parlamento. A estrutura sindical admite realizar outras manifestações de maior dimensão e recorrer à greve para reivindicar melhores condições de trabalho e de remuneração.

O descongelamento das carreiras, a aposentação ao fim de 36 anos de serviço, sem penalização, e a manutenção das escolas na tutela do Ministério da Educação são temas que os sindicatos têm mantido na ordem do dia e dos quais não estão dispostos a abdicar.