A prevenção com uma intervenção precoce na criança foi uma das conclusões do IV Fórum da Abrigo, que decorreu esta quinta-feira no Montijo, tendo sido dado como exemplo o caso do jogo da “Baleia Azul”.

“É necessária uma aposta na prevenção, com uma intervenção precoce na criança. O caso do jogo da ‘Baleia Azul’ é um exemplo disso mesmo e foi hoje aqui muito falado”, disse Cátia Sá Guerreiro, do programa de Gestão de Organizações Sociais, responsável pela apresentação das conclusões.

Ao longo de todo o dia, o Cinema Teatro Joaquim de Almeida, no Montijo, acolheu o IV Fórum Abrigo, com o tema “Séc XXI – O desafio de ser Criança”, com várias intervenções nos diferentes painéis.

A mesma responsável defendeu a necessidade de se trabalhar de uma forma integrada e salientou que muitos dos problemas são transversais a todo o mundo, como a prostituição, mendicidade ou a violência de género.

“Existiram grandes ganhos nos cuidados à criança, como a vacinação, que permitiu reduzir a mortalidade infantil. O acesso à educação e a proibição de castigos corporais foram também ganhos importantes”, salientou.

No caso de Portugal, Cátia Sá Guerreiro referiu que a Justiça é “amiga da criança”, mas destacou alguns dos problemas existentes, como o excesso de tempo na escola, os muitos trabalhos de casa e a falta de jantares e de passarem tempo em família.

“A lei laboral não pode ficar fora das discussões. Se queremos passar mais tempo com os filhos, tem que haver alterações e esse é também um dos desafios”, salientou.

A responsável acrescentou que o ser pobre não é sinónimo de maus-tratos, referindo que também se registam casos “nas franjas mais elevadas” da sociedade.