Chama-se Academia de Comércio e quer “apoiar pessoas com ideias de negócio inovadoras, que prometam dinamizar o comércio em Lisboa”. Câmara Municipal, SBI Consulting e Startup Lisboa juntaram-se para lançar um novo programa de aceleração que quer “revitalizar” o tecido comercial da cidade, anunciou a organização esta terça-feira, em comunicado.

Novas ideias de negócio ligados ao comércio, assim como restaurantes, cafés, lojas e outros negócios criados há menos de um ano, podem candidatar-se ao programa de aceleração até 31 de maio. Vão ser selecionados 20 projetos, sendo que as ideias que apresentem uma vertente online, além do comércio de rua, serão favorecidas.

O projeto nasceu pelas mãos de Marta Miraldes, managing partner da SBI Consulting quando, ao caminhar pela baixa lisboeta, observava que os negócios que eram referência na cidade não se conseguiam manter por não conseguirem acompanhar os desafios atuais que o comércio enfrenta.

Por outro lado, havia um outro grupo de pessoas com know-how sobre o futuro do retalho e com ideias inovadoras, mas que não conheciam as especificidades deste tipo de comércio de rua”, aponta Marta Miraldes.

Acabou por pegar na ideia e fazer um projeto piloto com os comerciantes do Castelo de S. Jorge, em 2015. O programa de aceleração da Academia de Comércio arranca a 6 de junho e vai decorrer em 20 dias intercalados até 13 de julho, acompanhando a conceção e desenvolvimento dos negócios, preparando-os para os riscos de arranque do negócio e trabalhando competências de gestão – análise de mercado, finanças e marketing, entre outras.

Além do programa de aceleração, a Academia de Comércio tem mais dois eixos de intervenção: um programa de apoio a comerciantes já instalados (nomeadamente os do Beato, para prepará-los para o impacto da instalação do novo Hub Criativo) e sessões de apoio ao programa Lojas com História, com o objetivo de otimizar os investimentos no âmbito do fundo municipal que existe para o efeito.